Escolha as suas informações

Sem-abrigo. 17 pessoas foram testadas positivas à covid-19 na Ação Inverno
Luxemburgo 03.05.2021

Sem-abrigo. 17 pessoas foram testadas positivas à covid-19 na Ação Inverno

Sem-abrigo. 17 pessoas foram testadas positivas à covid-19 na Ação Inverno

Foto: Lex Kleren
Luxemburgo 03.05.2021

Sem-abrigo. 17 pessoas foram testadas positivas à covid-19 na Ação Inverno

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Para além de ser um refúgio para as pessoas sem domicílio fixo, também há uma permanência médica gratuita.

Até agora foram detetados 17 casos positivos de SARS-Cov-2 nas instalações da tradicional “Ação Inverno” (Wanteraktioun) que visa dar acolhimento aos inúmeros sem-abrigo durante os meses de inverno.

No entanto, segundo a ministra da Família, Corinne Cahen, numa resposta parlamentar, é sobretudo a saúde mental destas pessoas que está a preocupar as autoridades. 

A pandemia também obriga os sem-abrigo a alterarem as suas rotinas, respeitando as medidas impostas pelo Governo, o que provoca sentimentos de medo e de desespero.

A “Ação Inverno” deveria ter encerrado no final do mês de março, mas devido à atual crise sanitária, o Ministério da Família decidiu prolongar a ação até 30 de junho.

A iniciativa anual é levada a cabo por várias organizações, sob a tutela do Ministério da Família e da Integração, e visa garantir que nenhuma pessoa sem domicílio fixo morra na rua por causa do frio.

Em tempo de crise sanitária, o centro que se situa no Findel também serve de abrigo durante o recolher obrigatório, que vigora entre as 23:00 e as 6:00.

Para além de ser um refúgio para as pessoas sem domicílio fixo, também há uma permanência médica gratuita. Em caso de suspeita de infeção à covid-19, a pessoa é colocada em isolamento até à obtenção do resultado do teste.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Ação Inverno vai ser prolongada até 30 de junho
A tradicional "Ação Inverno", que visa dar acolhimento aos inúmeros sem-abrigo do Luxemburgo durante os meses de inverno, deveria encerrar no final do mês de março, mas devido à atual situação de pandemia, o Ministério da Família decidiu prolongar a ação até 30 de junho.