Escolha as suas informações

Segundo trimestre. Salários no Luxemburgo diminuem 2,9% durante pandemia
Luxemburgo 04.12.2020

Segundo trimestre. Salários no Luxemburgo diminuem 2,9% durante pandemia

Imagem de arquivo

Segundo trimestre. Salários no Luxemburgo diminuem 2,9% durante pandemia

Imagem de arquivo
Foto: DR Foto: DR
Luxemburgo 04.12.2020

Segundo trimestre. Salários no Luxemburgo diminuem 2,9% durante pandemia

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
O Grão-Ducado foi dos países da Europa com menos quebra salarial e Portugal foi o país em que se registou a maior quebra dos salários.

Os salários dos trabalhadores no Luxemburgo diminuíram 2,9% no segundo trimestre de 2020, durante a pandemia.

Comparado com os restantes países europeus, foi o quarto com menos perdas salariais, juntamente com Suécia (-2,5%), Croácia (-2,1%) e Países Baixos (-1,7%). 

No outro extremo, Portugal registou a maior quebra salarial associada à pandemia, com 13,5%.

De acordo com o 'Relatório global sobre os salários 2020/2021', divulgado na quarta-feira pela Organização Internacional do Trabalho, o impacto da crise covid-19 na Europa gerou uma perda de empregos sem precedentes. 

Outro efeito foi a redução da carga horária de trabalho, que levou a uma perda total do salário em 6,5% na Europa.

Quanto à disparidade de género, o relatório aponta que em todos os países, as mulheres foram mais afetadas pela perda de trabalho e redução da carga horária do que os homens. 

No Luxemburgo, a redução salarial foi de 4,1% para as mulheres enquanto para os homens a quebra foi de 2,2%, o que se pode justificar pelo facto de elas serem maioria nos setores mais afetados pela pandemia (comércio, horeca, turismo).  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.