Escolha as suas informações

Segunda enfermeira agredida fisicamente em laboratório de análises
Luxemburgo 17.01.2022
Covid-19

Segunda enfermeira agredida fisicamente em laboratório de análises

Covid-19

Segunda enfermeira agredida fisicamente em laboratório de análises

Foto: Marijan Murat/dpa
Luxemburgo 17.01.2022
Covid-19

Segunda enfermeira agredida fisicamente em laboratório de análises

Catarina OSÓRIO
Catarina OSÓRIO
A Bionext refere que as agressões verbais a trabalhadores dos laboratórios têm-se multiplicado nos últimos meses. Um outro laboratório, onde ocorreu um caso semelhante em dezembro passado, já se tinha queixado do mesmo.

Depois de um caso semelhante no mês passado, este é o segundo caso de agressão a um profissional de saúde num laboratório de análises médicas. Num comunicado emitido esta manhã, os laboratórios Bionext lamentam a agressão física a uma enfermeira num dos locais de análises da empresa, num centro Picken Doheem do país. O caso deu-se na quarta-feira passada em Ettelbruck, confirmou Jorris Fitten, do gabinete de imprensa da Bionext ao Contacto.

Segundo Jorris Fitten, a paciente que agrediu a trabalhadora chegou ao laboratório para pedir a realização de um teste PCR. Depois de ter sido avisada que teria de se dirigir ao centro de testes em Leudelange, juntamente com outros três pacientes, a mulher insurgiu-se e começou a insultar a enfermeira. Pouco tempo depois deu mesmo um murro no braço da trabalhadora já junto à porta de entrada do centro de análises de Ettelbruck.

A direção do laboratório confirma que já foi apresentada queixa às autoridades e condena os "atos inaceitáveis" e manifesta todo o apoio ao pessoal da empresa". E refere ainda que as "agressões verbais [contra trabalhadores] têm sido cada vez mais frequentes nos últimos meses, tendo sido ultrapassados todos os limites neste caso.

"Durante quase dois anos, os laboratórios da BioneXt têm estado a funcionar 24 horas por dia, 7 dias por semana, e está a fazer o seu melhor para cuidar de todos os pacientes que entram. Compreendemos a frustração de alguns dos pacientes que gostariam de ser atendidos assim que chegam ao centro, mas a agressividade trazida por alguns, felizmente uma minoria, é difícil para as nossas equipas, que são realmente dedicadas e empenhadas no seu trabalho", refere a direção no curto comunicado.

Este é o segundo caso sabido de agressão a um profissional de saúde nos laboratórios de análise, depois de uma enfermeira dos laboratórios Ketterthill ter sido agredida também fisicamente em dezembro passado. Já na altura esta  empresa dava conta de um aumento das agressões verbais aos funcionários.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.