Escolha as suas informações

Schrassig. Mais de 20 reclusos em greve de fome
Luxemburgo 31.03.2020

Schrassig. Mais de 20 reclusos em greve de fome

Schrassig. Mais de 20 reclusos em greve de fome

Foto: Gerry Huberty
Luxemburgo 31.03.2020

Schrassig. Mais de 20 reclusos em greve de fome

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Depois do motim, o Centro Penitenciário de Schrassig é agora palco de uma greve de fome.

Trinta reclusos iniciaram uma greve da fome após terem sido colocados em solitária no seguimento do motim que provocaram na quarta-feira passada, dia 25 de março. Sete dos detidos após o motim abandonaram a greve esta segunda-feira, de acordo com a RTL que cita o diretor da Administração Penitenciária, Serge Legil.

Na manhã a seguir ao motim, o Ministério da Justiça afirmou que a rebelião envolveu 25 reclusos, tendo obrigado à intervenção da polícia e de várias unidades das forças de segurança. Os prisioneiros exigiam, entre outras reivindicações, "a libertação antecipada como forma de combater o novo coronavírus". Uma reivindicação, logo à partida, rejeitada pelo governo. Mas há uma exigência que a direção do centro penitenciário acatou: a de uma maior proteção dos reclusos face à covid-19. 

As mulheres detidas em Schrassig estão a confecionar máscaras que vão ser distribuídas pelos reclusos. "São produzidas cerca de 60 máscaras por dia. Caso haja excedente de 'stock'será entregue ao governo", disse o diretor deste centro penitenciário. Os reclusos envolvidos no motim pediam também a retoma das visitas presenciais, uma medida tomada pelo governo para conter o surto no país. Mas tal não vai acontecer. As visitas continuam, assim, a ser virtuais

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.