Escolha as suas informações

Saiba porque é que há portugueses que não estão a conseguir votar no Consulado
Luxemburgo 2 min. 24.01.2021

Saiba porque é que há portugueses que não estão a conseguir votar no Consulado

Saiba porque é que há portugueses que não estão a conseguir votar no Consulado

Foto: Manuel Dias
Luxemburgo 2 min. 24.01.2021

Saiba porque é que há portugueses que não estão a conseguir votar no Consulado

Madalena QUEIRÓS
Madalena QUEIRÓS
Dezenas de portugueses que se dirigiram este sábado ao Consulado de Portugal no Luxemburgo para votar não tinham o seu nome nos cadernos eleitorais. Saiba porquê.

Cerca de 200 portugueses não conseguiram votar este sábado no Consulado de Portugal no Luxemburgo por não estarem incritos nos cadernos eleitorais. Um número avançado por António Verdades, Conselheiro das Comunidades Portuguesas no Grão- Ducado. 

António Valente, vice-presidente do Comité de Ligação das Associações de Estrangeiros (CLAE) foi um dos casos. "Muitos ficaram revoltados por não poder votar", sublinha este dirigente associativo que se confrontou com o facto de não estar inscrito, enquanto a sua mulher e filha estavam. "A explicação que me deram foi que o funcionário que procedeu à minha renovação do cartão de cidadão não terá selecionado a opção de estar recenseado no Luxemburgo e por isso o meu nome não aparece nos cadernos eleitorais", acrescenta António Valente

Cerca de 50 casos foi o que pode testemunhar António Gamito, embaixador de Portugal no Luxemburgo, enquanto esteve no Consulado durante a tarde de ontem. 

Mas afinal porque não constam os nomes desses portugueses nos cadernos eleitorais? Para o embaixador  há três situações que explicam este fenómeno. "Há portugueses que foram renovar o cartão de cidadão a Portugal e registaram-se com uma morada de Portugal, por isso os seus nomes não constam dos cadernos eleitorais do Luxemburgo", esclarece António Gamito.


Luxemburgo. Vai votar ao Consulado? Tem de levar uma caneta consigo
Nestas eleições presidenciais em tempo de covid-19, os eleitores portugueses no Luxemburgo têm de levar consigo uma esferográfica para votar. É uma das medidas sanitárias previstas.

Para poderem votar no Luxemburgo teriam que ter confirmado em que caderno eleitoral estavam inscritos e alterar o recenseamento para o Grão-Ducado, 60 dias antes da realização das eleições presidenciais. Depois há os casos em que, na altura do pedido do cartão do cidadão não responderam Luxemburgo à pergunta onde queriam ficar recenseados.  

Mas todos estes portugueses que vivem no Luxemburgo, mas têm residência em Portugal poderiam ter optado por realizar o voto antecipado.

Uma terceiro situação verificou-se com os transfronteiriços com residência na Bélgica, França ou Alemanha que se dirigiram erradamento ao Consulado do Luxemburgo, quando deveriam ter-se dirigido aos consulados dos países de residência para exercer o seu direito de voto.

Mas há um outro caso:"Optei por votar nos deputados luxemburgueses para as eleições europeias de 2019 e automaticamente deixei de estar inscrito para votar nas presidencias e legislativas", afirma um dos portugueses que tentou votar e não constava dos cadernos eleitorais. Uma explicação avançada pelo presidente da mesa onde se dirigiu no Consulado. Ao inscrever-se na Comuna no Luxemburgo para votar, o seu nome terá sido retirado dos cadernos eleitorais das legislativas e presidenciais. O embaixador do Portugal no Luxemburgo, António Gamito, garantiu ao Contacto que será dada possibilidade a este cidadão de se reinscrever nos cadernos eleitorais dos cidadão portugueses residentes no estrangeiro.

Atualmente cerca de 44.600 pessoas estão inscritas para votar nas eleições presidenciais portuguesas no Consulado de Portugal no Luxemburgo. Poderão exercer o seu direito de voto até às 19h00 deste domingo no Consulado.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas