Escolha as suas informações

São precisos mais 30 mil alojamentos para melhorar o problema da habitação no Luxemburgo
Luxemburgo 23.02.2022
Fundação IDEA

São precisos mais 30 mil alojamentos para melhorar o problema da habitação no Luxemburgo

Fundação IDEA

São precisos mais 30 mil alojamentos para melhorar o problema da habitação no Luxemburgo

Foto: Pixabay
Luxemburgo 23.02.2022
Fundação IDEA

São precisos mais 30 mil alojamentos para melhorar o problema da habitação no Luxemburgo

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Não seria o fim do problema mas iria certamente melhorar a dificuldade em arranjar casa a um preço acessível no Grão-Ducado. A conclusão é da Fundação IDEA, que no seu último relatório, que dá pistas e conselhos para atacar um dos problemas mais prementes no país.

Não seria o fim do problema mas iria certamente melhorar a dificuldade em arranjar casa a um preço acessível no Grão-Ducado. Segundo a Fundação IDEA é necessário haver pelo menos mais 30 mil casas disponíveis no país para que se seja possível encontrar um alojamento a preços razoáveis.

A conclusão é da Fundação IDEA, que no seu último relatório, dá pistas e conselhos para atacar um dos problemas mais prementes no país. Segundo a fundação, o problema da habitação no Grão-Ducado não é novo, mas tem assumido formas diferentes ao longo dos anos. 

No estudo, o organismo acrescenta que o aumento dos preços atual se deve sobretudo à falta de casas, que se vai acentuando de ano para ano, uma vez que há mais agregados familiares que se formam anualmente do que habitações que se constroem. Situação que está a 'empurrar' as famílias para as fronteiras, onde mesmo aí os preços também têm vindo a subir, como testemunharam vários portugueses ao Contacto.


Entre 2020 e 2021, os preços das casas no Luxemburgo aumentaram 13,6%. Na última década, verificou-se uma subida de 111%.
Nem no centro, nem nas fronteiras. Qual é o melhor lugar para viver no Luxemburgo?
Com o aumento constante dos preços das casas no Grão-Ducado, muitas pessoas fugiram para os países vizinhos nos últimos anos. Agora os valores também estão a subir nas zonas fronteiriças.

Uma situação que leva a fundação IDEA a pedir maior apoio financeiro do Governo aos agregados familiares numa situação mais precária. Segundo os cálculos do organismo cerca de 30 mil locatários são elegíveis para receber esta ajuda, mas apenas 6.500 recebem-na atualmente.

E alerta ainda que um terço dos locatários gasta mais de 40% do seu ordenado para poder pagar a renda, o que os coloca numa situação precária. 

A IDEA pede ainda às empresas que tenham um papel mais ativo na matéria, colocando, por exemplo, habitações à disposição dos trabalhadores, algo que chegou a ser feito pela Arbed, do ramo metalúrgico, que chegou a propor  alojamento a alguns trabalhadores.

A fundação saúda, no entanto, o estímulo do Governo em querer aumentar o número de proprietários de habitação no país. Atualmente, cerca de 60% dos residentes do país são proprietários, um número que se tem mantido estável, apesar do aumento constante dos preços.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O ponto a que se chegou na situação da habitação é muito grave do ponto vista social mas também põe em causa o próprio desenvolvimento económico do país.
É um dos temas mais importantes e sensíveis da batalha eleitoral. O Contacto passou o mercado da habitação pelo raio X para perceber a dimensão do problema. Saiba quantas casas há no Luxemburgo, quanto é que os preços têm subido, quantos proprietários e inquilinos existem.