Escolha as suas informações

Só numa noite registaram-se 12 colisões com animais selvagens
Luxemburgo 05.10.2019

Só numa noite registaram-se 12 colisões com animais selvagens

Só numa noite registaram-se 12 colisões com animais selvagens

Luxemburgo 05.10.2019

Só numa noite registaram-se 12 colisões com animais selvagens

Os casos ocorreram nas estradas do país. A polícia alerta para as regras de trânsito nas zonas de risco.

Só na noite desta sexta para hoje, sábado, ocorreram 12 acidentes de viação por colisão e atropelamento de animais selvagens nas estradas do Luxemburgo, informou hoje a polícia. Alguns animais faleceram outros fugiram feridos para os bosques. Da parte dos automobilistas não houve feridos a registar.

Face a este número elevado, a Polícia do Grão-Ducado alerta para respeitar os sinais de trânsito que avisam sobre a presença destes animais e para nestas zonas de risco, assinaladas e em florestas, se conduzir mais devagar.

“No Luxemburgo ocorrem cerca de 1200 acidentes de viação provocados por animais selvagens todos os anos”, lê-se na página da polícia.

Os conselhos da polícia

Por isso, nessas zonas esteja  sempre com atenção aos dois lados da estrada.

Caso detete a presença de um animal na estrada ou na berma diminue a intensidade da luz dos faróis e buzine para o levar a abandonar o local.

E perante uma colisão?

"Quando uma colisão parecer inevitável, tente travar o máximo que conseguir e mantenha o volante firme. Mudanças de direção ou manobras repentinas podem levar à perda de controlo do carro”, lê-se nos avisos da página da polícia.

Quando um animal se atravessar de repente e não conseguir evitar a colisão, trave o carro, saia do veículo e vista o colete de segurança. O local deve ser assinalado com o triângulo de aviso na distância correta e com as luzes de aviso de perigo ligadas.

Não mexa no animal

De acordo com a polícia não tente transportar o animal ferido ou mudá-lo de local. Chame a polícia.

O transporte de animais selvagens só é autorizado após a aprovação das autoridades, e através da aplicação de marcas especiais. Caso contrário, estará a violar as leis de caça”.


Notícias relacionadas