Escolha as suas informações

Reuniões com mais de 10 pessoas em casa apenas com 'CovidCheck'
Luxemburgo 4 min. 08.07.2021
Covid-19

Reuniões com mais de 10 pessoas em casa apenas com 'CovidCheck'

Covid-19

Reuniões com mais de 10 pessoas em casa apenas com 'CovidCheck'

Foto: Gerry Huberty
Luxemburgo 4 min. 08.07.2021
Covid-19

Reuniões com mais de 10 pessoas em casa apenas com 'CovidCheck'

Redação
Redação
Governo decidiu não introduzir medidas mais restritivas contra a pandemia, mas há ligeiras alterações. Cruzamento de vacinas e terceiras doses também vão ser possíveis. Nova lei vai vigorar entre 16 de julho e 14 de setembro.

Apesar do contexto atual, o Governo decidiu, no geral, não introduzir medidas mais restritivas contra a pandemia. Na conferência desta tarde, o vice primeiro-ministro, Dan Kersch, e a ministra da Saúde anunciaram uma "harmonização" das regras entre ajuntamentos públicos, como por exemplo no setor da Horeca, e privados.

Dan Kersch anunciou que será possível receber em casa mais de 10 pessoas, mas apenas com 'CovidCheck', (certificado de vacinação completa, ou teste certificado negativo - PCR com 72 horas de validade no máximo; ou rápido de antigénio certificado com 48 horas de validade -, ou certificado médico de recuperação da doença). 

O vice primeiro-ministro dedicou os primeiros segundos da conferência para informar que Xavier Bettel saiu esta tarde do hospital onde recebeu tratamento durantes vários dias após ter contraído covid-19. 

O Executivo anunciou ainda que a partir da meia-noite os autotestes vão deixar de ser válidos, passando a ser obrigatório apresentar um dos certificados 'CovidCheck'. As novas regras estarão em vigor entre 16 de julho e até ao fim do verão, a 14 de setembro. 

Também no desporto, todas as competições vão ser possíveis, mas apenas com 'CovidCheck' ou testes rápidos certificados. Kersch assegurou ainda que haverá um controlo mais apertado às fraudes pelas autoridades. 


Aplicação 'CovidCheck' apenas verifica certificados, não os grava
A aplicação móvel de leitura dos certificados covid-19 do Grão-Ducado chama-se 'CovidCheck.lu'.

As atividades escolares durante as férias de verão no exterior vão ser permitidas sem o uso da máscara e distância física. No entanto, no interior, os gestos barreira continuam a ser obrigatórios.  

Sobre as empresas, nada vai mudar quanto às regras sanitárias, mas Dan Kersch anunciou um novo apoio público para os empregadores que contratem estagiários. Sem avançar grandes pormenores, o ministro disse apenas que a medida será válida até ao outono de 2022. 

Luxemburgo vai cruzar vacinas e administrar terceiras doses

O Governo decidiu também no Conselho de Ministros desta quinta-feira que a partir de 9 de julho vai ser possível o cruzamento de diferentes vacinas no país. A ministra da Saúde, Paulette Lenert, explicou que as pessoas com menos de 55 anos que receberam uma primeira dose da AstraZeneca poderão agora receber uma segunda dose da Pfizer ou Moderna.

Até agora, as autoridades de saúde luxemburguesas preferiram esperar pelo parecer da Agência Europeia do Medicamento (EMA, em inglês), para decidir se aplicavam a medida, no entanto até ao momento a agência ainda não tomou uma decisão definitiva.

O Conselho Superior das Doenças Infecciosas do Luxemburgo já tinha dado o  aval positivo quanto à combinação de duas vacinas covid-19 de marcas diferentes. Vários países da União Europeia já permitem, aliás, a combinação de vacinas de marcas diferentes, argumentando que o fármaco da AstraZeneca se torna mais eficaz, quando combinado com o fármaco da Pfizer ou a Moderna.   

A partir de meados de agosto, os médicos de família também vão poder administrar as vacinas contra a covid-19, informou ainda a ministra. 

Pessoas em situação ilegal vão ser vacinadas

Outra das grandes novidades da conferência desta quinta é que o Luxemburgo vai vacinar as pessoas vivem em situação ilegal no país. Paulette Lenert acrescentou que 70% da população adulta já recebeu pelos menos a primeira dose da vacina covid-19. Atualmente, há "4.295 pessoas inscritas num das três listas de espera para a vacinação, sendo que 36% não residem no Luxemburgo", ou seja são trabalhadores transfronteiriços. 

Atualmente cerca de 236.000 pessoas estão completamente vacinadas no país, indicou Paulette Lenert.

"Estamos em plena pandemia"

Sobre o recente aumento de casos, Paulette Lenert afirmou que o país continua em "pela pandemia", pelo que a cautela e o respeito pelas medidas sanitárias continua a ser essencial.

Nomeadamente, voltou a admitir que o feriado da Festa Nacional e a retoma da vida noturna poderão ter sido responsáveis pelo novo aumento. E mencionou que é exatamente os mais novos que o vírus está a infetar, indicando que a média de idades das novas infeções é agora de 26 anos.


Como o Luxemburgo passou de 107 para 787 casos numa só semana?
Em sete dias, os casos aumentaram 635% no país. Conheça as razões a poucas horas da ministra da saúde poder anunciar novas medidas. E as previsões dos cientistas.

Sobre os hospitais, Lenert falou numa situação "muito calma" com quatro pessoas hospitalizadas e uma destas nos cuidados intensivos. Nas últimas 24 horas houve 131 novos casos de infeção e zero mortos. 

Também nos lares a situação está estável, com dois residentes e três trabalhadores dos lares infetados atualmente.

(Redação Rádio Latina)

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas