Escolha as suas informações

Corinne Cahen rejeita saída do Governo
Luxemburgo 13.07.2021
Relatório Waringo

Corinne Cahen rejeita saída do Governo

Relatório Waringo

Corinne Cahen rejeita saída do Governo

Foto: Gerry Huberty
Luxemburgo 13.07.2021
Relatório Waringo

Corinne Cahen rejeita saída do Governo

A ministra da Família reiterou que não se demite e disse que a oposição se está a aproveitar da crise sanitária para atacar o executivo.

O Governo luxemburguês decidiu segurar Corinne Cahen depois da moção apresentada no Parlamento em que os quatro partidos da oposição pediram a demissão da ministra da Família, na sequência da apresentação do relatório independente comandado por Jeannot Waringo para avaliar os surtos nos lares de idosos. 

Uma das conclusões do texto apresentado na segunda-feira é a de que houve alguma "confusão" no que respeita às recomendações emitidas pelos ministérios tanto da Saúde como da Família. Segundo o relatório, por vezes as recomendações não eram claras, sobretudo no que diz respeito às responsabilidades atribuídas.  

Numa conferência de imprensa que durou quase uma hora, Paulette Lenert e Corinne Cahen analisaram as conclusões do relatório e deram pormenores sobre a resposta do governo. Durante as declarações aos jornalistas, a ministra da Família recusou a demissão, depois de ter sobrevivido à moção da oposição.


Todos os partidos da oposição exigem demissão da ministra da Família
Os quatro partidos da oposição (CSV, ADR, Déi Lénk, Partido Pirata) assinaram a moção que pede a demissão da ministra da Família e da Integração, no seguimento das conclusões do relatório sobre os surtos covid-19 nos lares de idosos.

Quando questionada sobre estatísticas de morte erradas, a ministra referiu que não pretendia esconder nada e que a oposição apenas procura tirar partido da situação. 

A ministra da Saúde explicou que devido às reservas limitadas de vacinas, a campanha de vacinação teve de dar prioridade às pessoas vulneráveis, antes de poder abranger todos os que trabalham em estreito contacto com elas. Paulette Lenert sublinhou que se tratou de uma campanha extremamente complexa do ponto de vista administrativo, e que foram feitas melhorias contínuas ao longo do caminho.

Manifestou ainda a sua satisfação pelo facto de o relatório Waringo ter mostrado que os idosos vacinados em lares tinham o melhor nível de proteção possível contra a covid-19. Já a Corinne Cahen concluiu a conferência de imprensa anunciando que atualmente não há residentes de lares de idosos e de cuidados que estejam infetados com o coronavírus.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas