Escolha as suas informações

Relatório rejeita alegações de assédio no hospital Emile Mayrisch
Luxemburgo 27.11.2020

Relatório rejeita alegações de assédio no hospital Emile Mayrisch

Relatório rejeita alegações de assédio no hospital Emile Mayrisch

Foto: Guy Wolff
Luxemburgo 27.11.2020

Relatório rejeita alegações de assédio no hospital Emile Mayrisch

Diana ALVES
Diana ALVES
O CHEM acrescenta que direção e administração não estavam conscientes da duração e gravidade dessas irregularidades.

O relatório do Instituto Colleen Besch rejeita as alegações de assédio no Centro Hospitalar Emile Mayrisch (CHEM), em Esch-sur-Alzett. A análise foi realizada a pedido da direção do hospital, na sequência de alegados casos de pressão psicológica no seio da instituição, no verão passado.

Os resultados da análise do Instituto Colleen, que ouviu 28 funcionários, foram divulgados hoje pelo estabelecimento hospitalar, que diz que o relatório “rejeita as alegações de assédio”.

Numa nota à comunicação social, a direção do CHEM diz-se aliviada com as conclusões, mas reconhece “a existência de disfuncionamentos, dos quais a direção e o conselho de administração não tinham conhecimento”. 

O CHEM acrescenta que direção e administração não estavam conscientes da duração e gravidade dessas irregularidades. O relatório dá conta de “conflitos latentes que não foram resolvidos de forma construtiva, ameaçando provocar situações de sofrimento psicossocial no seio das equipas”.

Para prevenir situações semelhantes no futuro, a direção e administração do CHEM validaram um plano de ação que tem como objetivo garantir o bem-estar dos funcionários. Entre outras medidas, o plano estipula que as competências psicossociais devem ser uma condição prioritária aquando da seleção de um funcionário para um cargo de chefia. Será também criada uma comissão de comportamento e ética para assegurar o cumprimento do código de boas práticas.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.