Escolha as suas informações

Regras para viagens. O que tem de saber se atravessar a fronteira
Luxemburgo 4 min. 03.04.2021

Regras para viagens. O que tem de saber se atravessar a fronteira

Regras para viagens. O que tem de saber se atravessar a fronteira

AFP
Luxemburgo 4 min. 03.04.2021

Regras para viagens. O que tem de saber se atravessar a fronteira

De férias ou em trabalho, as regras para quem viaja do Luxemburgo, nesta altura, são apertadas em vários países. Com a classificação de zona de risco em vários países, os obstáculos ao Grão-Ducado começam logo nos estados fronteiriços.

Com o feriado de segunda-feira a prolongar o fim de semana de Páscoa, muitos aproveitam para fazer umas miniférias e tentam viajar para fora do país, mesmo em tempo de pandemia. Porém, e ainda que o Governo luxemburguês não tenha restrições específicas para as viagens dos seus cidadãos e residentes, o mesmo não acontece do lado de lá da fronteira, onde as limitações começam logo nas regiões coladas ao Luxemburgo, como a Moselle. 

Quem atravessar nos próximos dias para esta região francesa tem de ter teste PCR negativo, realizado com menos de 72 horas de antecedência, embora haja exceções. Os trabalhadores fronteiriços "cuja urgência ou frequência de viagem seja incompatível com a realização de um teste" estão isentos.

Regras em França

As novas regras em França, para aqueles que não estejam só de passagem e desejem permanecer no território, implicam também uma declaração de honra que ateste que a ausência de sintomas de covid-19 e a confirmação de não ter estado em contacto com um caso confirmado nos 14 dias anteriores à viagem. Deve ser preenchido outro certificado para crianças com menos de 11 anos de idade, que estão, contudo, isentas de realizar o teste PCR.

A circulação, em França, é limitada ao local de residência e às regras de confinamento em vigor. Deslocações que excedam um raio de 30 km precisam de justificação e entre regiões diferentes só estão autorizadas viagens por motivos excecionais ou profissionais.


Findel continua a exigir teste negativo até 15 de maio
Há alterações para quem chega de fora da Europa: acabaram os testes rápidos no pós aterragem. A outra grande novidade é que as autoridades luxemburguesas já os teste rápidos dos viajantes dos estados membros da UE.

Alemanha com exigências apertadas

As autoridades alemãs colocaram o Luxemburgo como zona de risco, por isso os que viagem a partir do Grão-Ducado terão de ter teste negativo, feito 48 horas antes, independentemente de entrarem por via aérea ou terrestre, fornecer informação sobre o local de estadia e contactos e submeter-se a quarentena de 10 dias. 

Apesar disso, algumas regiões, como Sarre e Renânia-Palatinado, possibilitam a isenção de quarentena, até um período de permanência de 24 horas, para os que se desloquem a partir do Luxemburgo. Não é permitida a pernoita por motivos turísticos.

Bélgica só permite viagens essenciais

Fazer turismo na Bélgica nesta altura também está fora de questão. Só são permitidas viagens essenciais, com declaração que justifique a estadia e teste PCR negativo realizado menos de 48 horas antes da chegada, caso a permanência no território seja superior a dois dias. É ainda obrigatório preencher um formulário de localização de passageiros, 48 horas  antes de entrar em território belga. 

Sendo o Luxemburgo considerado um país de alto risco, pelas autoridades do país vizinho, quem viajar do Grão-Ducado para permanecer alguns dias na Bélgica tem ainda de fazer quarentena de, pelo menos, sete dias, podendo realizar um teste ao fim desse período e ver a quarentena levantada, se o resultado for negativo.

Quarentenas de 10 dias na Suíça e nos Países Baixos

O Luxemburgo também está na lista de países de risco da Suíça. Por isso, os que viajam a partir do Grão-Ducado, além de terem de preencher um formulário eletrónico e de ter teste negativo PCR, feito até 72 horas antes, ficam sujeitos a uma quarentena de 10 dias, devendo avisar, à chegada as autoridades do cantão. 

Nos Países Baixos, o Luxemburgo está na zona laranja, sendo apenas permitidas aos seus viajantes estadias, no território, por razões de força maior. A par disso, é necessário teste PCR negativo com menos de 24 horas, para quem viajar de avião, e com menos de 72 horas para transportes por via terrestre.

Além dessas obrigações, os viajantes do Grão-Ducado têm, tal como na Suíça, de ficar em quarentena, durante 10 dias, mas podem ao fim de cinco dias realizar novo teste, que, caso dê negativo, permite o levantamento do isolamento.


Portugal coloca 11 países em lista de quarentena obrigatória
França é um dos países da lista. De fora da quarentena obrigatória, viagens do Luxemburgo só são aceites por motivos considerados essenciais.

Sem quarentena, Portugal só autoriza viagens essenciais do Luxemburgo

Apesar de não estar na lista dos 11 países com quarentena obrigatória de 14 dias, o Luxemburgo integra um outro grupo de 15 países que apenas têm autorizadas, para Portugal, viagens essenciais. Viagens que não se incluam nessas características, que se destinem apenas a férias ou lazer não são recomendadas.

No grupo em que se insere o Luxemburgo, "apenas são permitidas viagens essenciais com origem em países com uma taxa de incidência igual ou superior a 150 casos e inferior a 500 casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias", refere o decreto de 28 de março.

De acordo com o último boletim de balanço semanal, entre 22 e 28 de março, a taxa de incidência situou-se nos 269 casos por 100.000 habitantes, e na semana antes estava nos 25o casos por 100.000 habitantes.



Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas