Escolha as suas informações

Referência à sapataria familiar no Facebook de ministra "não viola código deontológico"
Luxemburgo 22.11.2019 Do nosso arquivo online

Referência à sapataria familiar no Facebook de ministra "não viola código deontológico"

Corinne Cahen.

Referência à sapataria familiar no Facebook de ministra "não viola código deontológico"

Corinne Cahen.
Foto: Guy Jallay
Luxemburgo 22.11.2019 Do nosso arquivo online

Referência à sapataria familiar no Facebook de ministra "não viola código deontológico"

A ministra tem no Facebook uma conta pública e oficial, e outra privada, esta com referências à sapataria da família.

As referências ao site e à página de Facebook da sapataria familiar no perfil Facebook da ministra da Família, Corinne Cahen, "não são incompatíveis com o código deontológico do governo".

É desta forma que Corinne Cahen respondeu hoje à questão parlamentar apresentada pelo deputado do ADR Fernand Kartheiser, que punha em causa alegadas violações ao código deontológico dos membros do governo.


Corinne Cahen quer intervenção do Comité de Ética sobre negócios de família
Depois de ter sido acusada de querer defender a sapataria da família usando a sua conta de email do Governo, a ministra da Família é agora acusada de ter proposto arrendar um apartamento na plataforma Airbnb.

As referências à sapataria familiar foram publicadas no perfil privado da ministra, onde aparece também a referência “Governo do Luxemburgo”, como local de trabalho.

Corinne Cahen explica, num comunicado conjunto com o primeiro-ministro, Xavier Bettel, e com o vice-primeiro-ministro Ettienne Schneider, que o seu perfil privado no Facebook existe desde 2007 e que esta rede social permite inserir também o local de trabalho atual ou os anteriores.

Além do perfil privado, Corinne Cahen tem uma página oficial e pública no Facebook, criada desde que passou a integrar o Governo, em 2013.

A ministra foi também recentemente acusada de violação do código deontológico do governo depois de ter proposto arrendar um apartamento na plataforma Airbnb e de ter defendido a sapataria familiar através do uso do seu email profissional, numa carta dirigida à União Comercial da Cidade do Luxemburgo, para manifestar o descontentamento com as perturbações causadas pelas obras do elétrico.

HB


Notícias relacionadas

Bettel defende Corinne Cahen no caso do email
O primeiro-ministro considerou que não há nenhuma questão do ponto de vista ético no email que a ministra da Família fez usando o seu endereço eletrónico do governo em relação às obras na Gare que afectam um estabelecimento comercial que pertence à sua família.