Escolha as suas informações

Redução drástica de autocarros entre a Gare e o centro da capital
Luxemburgo 2 min. 20.11.2020

Redução drástica de autocarros entre a Gare e o centro da capital

Redução drástica de autocarros entre a Gare e o centro da capital

Pierre Matgé
Luxemburgo 2 min. 20.11.2020

Redução drástica de autocarros entre a Gare e o centro da capital

Ana B. Carvalho
Ana B. Carvalho
Os autocarros regionais, que durante muito tempo congestionaram esta rota principal, vão praticamente desaparecer do centro da cidade.

Esta é a terceira fase da grande reorganização da rede RGTR. A extensão da linha do eléctrico terá como consequência direta a eliminação de quase todos os autocarros desta rede no centro da cidade. Entre a Gare e Hamilius, mais de 40% dos autocarros vão desaparecer.

François Bausch, ministro da Mobilidade, garantiu esta quinta-feira que o elétrico vai transportar os seus primeiros passageiros na Gare do Luxemburgo,  no domingo 13 de dezembro. 

O ministro apresentou todas as alterações que a chegada do elétrico à estação irá provocar em todos os transportes públicos da capital, uma vez que a entrada ao serviço do novo troço de 2,2 km entre a Place de l'Etoile (o terminal atual) e a Gare "terá um enorme impacto" no tráfego de autocarros de longo curso entre a Place Hamilius e a estação central. 

"Após 13 de dezembro, apenas cerca de 20 rotas RGTR serão mantidas, ou seja, apenas linhas escolares", informou Alex Kies, diretor do Departamento de Mobilidade e Transportes do ministério, citado pela RTL.

Os autocarros regionais, que durante muito tempo congestionaram esta rota principal, vão praticamente desaparecer do centro da cidade. Como resultado da construção do eléctrico na Avenue de la Liberté, "passámos de 1.700 viagens por dia para 500, uma redução de 1.200 viagens por dia quando fazemos a mudança para a estrada circular", lembra-nos Alex Kies. 


Newsdesk, Illustration Tram, Luxtram, Foto: Chris Karaba/Luxemburger Wort
‘Tram’ de alta velocidade na lista de grandes projetos do Governo
O elétrico de alta velocidade entre a cidade do Luxemburgo e o sul do país faz parte das lista de grandes projetos do Governo para os próximos anos. A lista, apresentada na quinta-feira aos deputados da comissão das obras públicas, contém 20 projetos de “grandes infraestruturas”, incluindo edifícios públicos, estradas e outras infraestruturas rodoviárias e ferroviárias.

A 13 de dezembro, as restantes 500 viagens serão reduzidas a cerca de 20. Os autocarros RGTR estão a dar lugar ao Autobus de la Ville de Luxembourg (AVL), que fornecerá o novo intercâmbio multimodal Hamilius, mas acima de tudo o elétrico poderá exercer a função de transporte principal, já que um único comboio pode transportar oito vezes mais passageiros do que um autocarro na hora de ponta. Assim, poder-se-á transportar 400 pessoas de uma só vez numa linha direta através da Avenue de la Liberté.

No eixo da Avenida Roosevelt Station-Boulevard, os autocarros AVL também vão deixar de circular. A partir de 13 de dezembro, "vamos descer para um máximo de 40 autocarros por hora em qualquer direcção", informou Lex Bentner, o diretor da AVL. 

Passarão a ser 43% menos viagens do que em novembro.  Há também 66% menos autocarros AVL em relação a 2015. Em junho desse ano, a rede da cidade teve sofrer uma enorme remodelação devido à remoção da estação de autocarros do centro de Hamilius. 

Mas os autocarros continuarão a percorrer o mesmo número de quilómetros no território da capital. Andam quase 44.000 km por dia e estão prontos para iniciar novas viagens: "Vamos colocar linhas em áreas onde existe hoje uma forte procura, tais como os distritos de Ban de Gasperich-Cloche d'Or, Kirchberg ou Cessange, em rápido desenvolvimento. Uma nova linha também ligará Belair a Findel", explicou ainda Lex Bentner. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas