Escolha as suas informações

Racismo. Candidata Mónica Semedo "chocada e dececionada" com cartazes rasgados
Luxemburgo 2 min. 26.09.2018

Racismo. Candidata Mónica Semedo "chocada e dececionada" com cartazes rasgados

Racismo. Candidata Mónica Semedo "chocada e dececionada" com cartazes rasgados

Foto: Chris Karaba
Luxemburgo 2 min. 26.09.2018

Racismo. Candidata Mónica Semedo "chocada e dececionada" com cartazes rasgados

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
Vários cartazes da candidata às eleições legislativas Mónica Semedo, pelos liberais do DP, foram rasgados em Grevenmacher. A apresentadora da RTL, de origem cabo-verdiana, diz-se chocada. Na cidade do Luxemburgo, houve quem escrevesse "judeus", num cartaz de Xavier Bettel e Corinne Cahen.

"É inaceitável isso na nossa sociedade. Não sei o que passa no Luxemburgo. Somos um país aberto, tolerante e que recebeu muitos estrangeiros. Estou chocada, muito triste e dececionada porque há pessoas que não compreenderam e não se lembram da história que o Luxemburgo viveu, uma história que destruiu milhares de vidas por toda a Europa e no Luxemburgo", disse Mónica Semedo ao Contacto, em referência aos dois casos que envolvem cartazes do DP.

No caso dos cartazes de Mónica Semedo, foram arrancados recentemente perto de um lar de idosos e junto a uma paragem de autocarros, em Grevenmacher.

"Fizeram isso quatro vezes no mesmo dia. No espaço de meia hora depois da colagem dos cartazes, rasgaram a minha foto", explica Mónica Semedo. O caso voltou a repetir-se "há quatro dias junto ao cemitério de Gervenmacher", garante Mónica Semedo, o que obrigou o partido a voltar a colar os cartazes.

Mónica Semedo usou o humor, através do Facebook, para responder aos detratores dos cartazes.

"Há alguém com muito tempo: qual é objetivo da pessoa (ou das pessoas) que fez isto? Vou continuar comprometida. Nós defendemos uma campanha eleitoral justa e vocês têm escolha e podem assumir essa escolha. O vandalismo não leva a nada".

Questionada sobre quem estaria por trás deste ato de racismo, a candidata do DP pelo círculo eleitoral Este, de que faz parte Grevenmacher, diz desconhecer os autores, mas pede à "população tolerante" que levante a voz contra o racismo.

"Não sei quem estará por trás disto, mas seguramente que serão pessoas que não compreenderam a história. Estou dececionada com esta vaga que se está a criar. Não compreendo o que querem, onde querem chegar, mas apelo a todas as pessoas tolerantes do Luxemburgo que levantem a voz, que se manifestem e digam não ao racismo, porque não se pode dar poder e força a estas pessoas".

Quanto ao cartaz que junta o primeiro-ministro e cabeça de lista pelo DP, Xavier Bettel, e a ministra da Família e Integração, Corinne Cahen, ambos com ascendência judaica, o caso deu-se na cidade do Luxemburgo.

Na rotunda Glück, em Howald, o grande cartaz eleitoral DP foi vandalizado com um tag (graffiti) anti-semita: "Juden" ("judeus" em alemão), fazendo lembrar as inscrições de cor amarela nas vitrinas dos comerciantes judeus, durante na sombria Alemanha de Hitler.

O DP apresentou queixa contra desconhecidos, de acordo com o secretário-geral do Partido Liberal, Claude Lamberty.

O partido de direita ADR também não se livrou de atos de vandalismos, com vários cartazes rasgados.


Notícias relacionadas

ADR engana-se na bandeira luxemburguesa
O partido Reforma Democrática Alternativa (ADR) começou a campanha eleitoral de "pernas para o ar" com um erro evidente no maior símbolo do país: a bandeira luxemburguesa aparece virada ao contrário.
O cartaz com a bandeira luxemburguesa ao contrário