Escolha as suas informações

Proibição de ajuntamentos privados com mais de 20 pessoas passa a recomendação
Luxemburgo 22.06.2020

Proibição de ajuntamentos privados com mais de 20 pessoas passa a recomendação

Proibição de ajuntamentos privados com mais de 20 pessoas passa a recomendação

Foto: Lex Kleren
Luxemburgo 22.06.2020

Proibição de ajuntamentos privados com mais de 20 pessoas passa a recomendação

Diana ALVES
Diana ALVES
Os ajuntamentos em casas privadas, que envolvam mais de 20 pessoas, deverão passar de proibidos a desaconselhados. Este é um dos aspetos contemplados na chamada 'lei covid', que vai a votos esta segunda-feira no Parlamento, numa sessão pública que arranca às 9h00. Em causa estão dois projetos de lei que estipulam as regras preventivas que entram em vigor depois de terminado o estado de emergência (a 24 de junho).

Um dos pontos contemplados na 'lei covid' diz então respeito aos ajuntamentos. Em espaços públicos, continuarão a ser proibidas reuniões com mais de 20 pessoas, de forma a minimizar os riscos de propagação do vírus. Mas no que toca a ajuntamentos em domicílios privados, o caso muda de figura. 

Segundo o parecer do Conselho de Estado, será impossível controlar o cumprimento da regra, como inicialmente previsto no texto. Por essa razão, "a restrição passa a uma simples recomendação, no que diz respeito à esfera privada". Esta é uma das alterações ao texto inicial desde que arrancaram os trabalhos parlamentares sobre a 'lei covid', há três semanas. Outra das mexidas teve que ver com os parques infantis, cuja reabertura aconteceu recentemente.


Formulário para pedir novo regime de desemprego parcial já está disponível
Os pedidos têm de ser feitos exclusivamente pela internet.

foOs dois projetos de lei entram em vigor no dia seguinte à sua publicação no Jornal Oficial do Luxemburgo e durarão um mês. Dada a evolução constante da situação sanitária, as regras poderão voltar a sofrer alterações. Porém, qualquer modificação pressupõe a intervenção do Parlamento. 

Um dos projetos prevê limitações no que toca aos ajuntamentos, medidas de proteção como o uso de máscara ou o distanciamento físico ou ainda sanções em caso de infração. O segundo texto visa medidas no âmbito do relançamento da economia, estipulando por exemplo as restrições e regras sanitárias ainda em curso em restaurantes e cafés.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Parlamento aprova ‘lei covid’
A chamada ‘lei covid’ já recebeu luz verde por parte do Parlamento. Assim, quando terminar o estado de emergência, na quarta-feira, dia 24 de junho, as medidas sanitárias poderão continuar em vigor.
Parlamento prepara o pós-estado de emergência
Está a chegar ao fim o estado de emergência, um mecanismo que permite ao Governo tomar medidas sanitárias urgentes para fazer face ao novo coronavírus. O estado de emergência caduca dentro de 11 dias.