Escolha as suas informações

Profissionais da saúde fazem novo minuto de silêncio esta quinta-feira
Luxemburgo 13.01.2022
Protesto

Profissionais da saúde fazem novo minuto de silêncio esta quinta-feira

Protesto

Profissionais da saúde fazem novo minuto de silêncio esta quinta-feira

Foto: Luc Deflorenne
Luxemburgo 13.01.2022
Protesto

Profissionais da saúde fazem novo minuto de silêncio esta quinta-feira

Susy MARTINS
Susy MARTINS
O objetivo é continuar a apelar para a importância da vacinação, mas também alertar para a exaustão de muitos trabalhadores da área.

O setor da Saúde realiza esta quinta-feira ao meio-dia mais um minuto de silêncio relacionado com a pandemia. O objetivo é continuar a apelar para a  importância da vacinação, mas também alertar para a exaustão de muitos trabalhadores da área.

Vários temem mesmo que o número de hospitalizações volte a aumentar face ao crescimento drástico de novas infeções devido à Omicron. Estes profissionais dizem mesmo estar "no limite das suas capacidades físicas" e afetados mentalmente, alertando para as consequências da pandemia num setor há muito fragilizado devido à falta de recursos humanos e maioritariamente dependente de mão-de-obra transfronteiriça.


Paulette Lenert.
Eficácia das vacinas contra a Omicron "não é tão boa quanto poderia ser" admite Lenert
A ministra da Saúde reconheceu aos deputados que há cada vez mais vacinados infetados devido à nova variante e que espera que uma nova geração de vacinas seja mais eficaz a prevenir o contágio.

Sobra a manifestão anti-vacinas marcada para 17 de janeiro, em frente ao Hospital de Kirchberg, os profissionais da Saúde frisam ainda que não vão responder à provocação. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Afinal, não será em janeiro do próximo ano, mas a partir do próximo ano letivo, em setembro, que as cantinas escolares vão ser gratuitas para os alunos do Luxemburgo cujos pais têm rendimentos baixos ou médios. Rendimentos que não ultrapassem quatro vezes o salário mínimo, ou seja 8.800 euros por mês.
20.05.2008 Lecker essen - Maison Relais Caritas Grevenmacher Foto: Serge Waldbillig
Afinal, não será em janeiro do próximo ano, mas a partir do próximo ano letivo, em setembro, que as cantinas escolares vão ser gratuitas para os alunos do Luxemburgo cujos pais têm rendimentos baixos ou médios. Rendimentos que não ultrapassem quatro vezes o salário mínimo, ou seja 8.800 euros por mês.
20.05.2008 Lecker essen - Maison Relais Caritas Grevenmacher Foto: Serge Waldbillig