Escolha as suas informações

Profissionais da saúde em "minuto de silêncio" esta quinta-feira
Luxemburgo 25.11.2021
Protesto

Profissionais da saúde em "minuto de silêncio" esta quinta-feira

Unidade covid-19 do serviço de reanimação da CHL, em novembro de 2020.
Protesto

Profissionais da saúde em "minuto de silêncio" esta quinta-feira

Unidade covid-19 do serviço de reanimação da CHL, em novembro de 2020.
Foto: Christophe Olinger
Luxemburgo 25.11.2021
Protesto

Profissionais da saúde em "minuto de silêncio" esta quinta-feira

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Os profissionais de todas as instituições hospitalares e de saúde do país querem chamar a atenção para as consequências da pandemia tanto no setor como na vida privada.

"Um minuto de silêncio das batas brancas". Este é o mote de uma mobilização dos médicos, enfermeiros, auxiliares e prestadores de cuidados de saúde, prevista para esta quinta-feira ao meio-dia.

Com a quarta vaga da pandemia a assombrar o Grão-Ducado, os profissionais protestam contra a deterioração das condições laborais e pessoais, numa altura em que o número de pacientes com covid-19 nos hospitais voltou a aumentar.

No protesto silencioso, os profissionais querem, assim, chamar a atenção para as consequências da pandemia tanto no setor como na vida privada.


Cientistas temem aumento exponencial de casos no Luxemburgo
O pior cenário possível, segundo os cientistas, é que as vacinas deixem de funcionar mais cedo do que o previsto, sobretudo se entretanto surgirem novas variantes. Atualmente, 100% dos casos no Luxemburgo devem-se à variante Delta.

Em comunicado, a organização sublinha que num setor que já sofria da falta de recursos humanos, a situação sanitária atual que já dura há quase dois anos, tem empurrado estes profissionais para o limite das suas capacidades físicas e psicológicas.

Os organizadores apelam ainda à vacinação de todos contra a covid-19, e consideram que a vacina é para já a única forma de proteção contra as formas graves da doença limitando também a propagação acelerada do vírus. Para os profissionais de saúde é "urgente agir, caso se queira evitar um novo confinamento", reiteram.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

De acordo com Sylvain Vitali, da federação dos hospitais luxemburgueses, "com o aumento e envelhecimento da população, a necessidade de enfermeiros é maior do que há 20 anos", alertou este responsável, citado pelo l'essentiel.