Escolha as suas informações

Profissões manuais: 30% são portugueses e Luxemburgo quer mais estrangeiros

Profissões manuais: 30% são portugueses e Luxemburgo quer mais estrangeiros

Foto: Shutterstock
Luxemburgo 17.05.2019

Profissões manuais: 30% são portugueses e Luxemburgo quer mais estrangeiros

O setor emprega 95 mil pessoas, dos quais 30% são portugueses, mas continua a ter dificuldades para recrutar mão-de-obra qualificada, segundo a Câmara dos Artesãos.

De acordo com os dados publicados na quinta-feira pela Chambre des Métiers, o setor artesanal continua a ser o primeiro empregador do país, com cerca de 95 mil empregos, que representam 22% da mão-de-obra nacional. O setor, que forma todos os anos 1.800 aprendizes, representa ainda 7.500 empresas (21% do total no país). E tem vindo a crescer nos últimos trinta anos, aumentando o seu peso, em média, 2,8% por ano. 

Mas o setor tem dificuldades para recrutar pessoal qualificado em número suficiente para responder à procura, e a esmagadora maioria são estrangeiros. De acordo com os dados divulgados pela Chambre des Métiers, trinta por cento dos trabalhadores do setor são portugueses, seguindo-se franceses (23%), luxemburgueses (15%), alemães (13%) e belgas (9%). 

Cinquenta e um por cento do total - 45 mil trabalhadores - são fronteiriços (28 mil franceses, 12.820 alemães e 9.440 belgas). "O recrutamento na Grande Região atinge os seus limites", lamenta o órgão que defende os interesses do setor, propondo como solução "reforçar a imagem do ramo, desenvolver a formação contínua e os centros de competências" e "criar um ambiente atrativo em termos de fiscalidade e mobilidade". Tudo "para captar a mão-de-obra estrangeira", diz aquela câmara profissional.

Trabalhadores fronteiriços e de várias nacionalidades representam os principais assalariados do setor.
Trabalhadores fronteiriços e de várias nacionalidades representam os principais assalariados do setor.
Gráfico: Câmara do Artesanato


O órgão de defesa dos interesses dos profissionais do setor lamenta ainda "o peso da carga financeira" para a criação de empresas, e reclama o reforço "das ajudas estatais às PME". 

No Luxemburgo, o setor artesanal inclui 121 profissões, do setor da alimentação (pasteleiro, talhante) à construção, mecânica automóvel, cabeleireiros, esteticistas, costureiras e sapateiros, entre outros.

Marc Auxenfants (tradução e adaptação por Contacto)


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Estudo: Número de empresas de trabalho manual subiu 85% nos últimos 25 anos
O número de empresas que se dedicam a actividades que implicam trabalho manual subiu 85% nos últimos 25 anos (entre 1990 e 2015). De acordo com um relatório da Chambre des Métiers, o número de empresas é de 6.890. Relativamente a 2014 houve um aumento de 4,4%, o que significa que foram criados mais 1.391 negócios.
Havia 6.890 empresas no sector do artesanato em 2015