Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa: MP arquiva inquérito que envolvia Centeno e Benfica
Mário Centeno

Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa: MP arquiva inquérito que envolvia Centeno e Benfica

AFP
Mário Centeno
Luxemburgo 2 min.01.02.2018

Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa: MP arquiva inquérito que envolvia Centeno e Benfica

O Ministério Público (MP) arquivou o inquérito que envolvia o ministro das Finanças, Mário Centeno, sobre alegados benefícios em troca de bilhetes para um jogo de futebol do Benfica, revela hoje a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).

O Ministério Público (MP) arquivou o inquérito que envolvia o ministro das Finanças, Mário Centeno, sobre alegados benefícios em troca de bilhetes para um jogo de futebol do Benfica, revela hoje a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).

Numa nota divulgada na sua página da internet, a PGDL justifica que o MP determinou o arquivamento do inquérito por inexistência de crime.

"Realizado o inquérito, recolhida a prova documental e pessoal necessária ao apuramento dos factos, o MP concluiu pela não verificação do crime de obtenção de vantagem indevida ou qualquer outro, uma vez que as circunstâncias concretas eram suscetíveis de configurar a adequação social e política própria da previsão legal", adianta a PGDL.

A PGDL explica que "o MP no DIAP [Departamento de Investigação e Ação Penal] de Lisboa ordenou a instauração de processo-crime na sequência da publicação nos órgãos de comunicação social de notícias sobre a solicitação de bilhetes para assistência a jogo de futebol no dia 1.04.2017 em tribuna presidencial".

Aquela estrutura do MP refere que, "segundo tais notícias, no mesmo período temporal, veio a ser concedida uma isenção de Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) a um familiar do presidente do clube que tinha oferecido os bilhetes ao ministro das Finanças".

Benfica regista "com satisfação" arquivamento do inquérito a Mário Centeno

O Benfica reagiu hoje "com natural satisfação" ao arquivamento por parte do Ministério Público do inquérito que envolvia o ministro das Finanças, Mário Centeno, e o Benfica, em nota publicada no seu site oficial.

"Em causa estava a absurda suspeita de crime de obtenção de vantagem indevida como contrapartida pela concessão de uma isenção de IMI ao filho do presidente do Sport Lisboa e Benfica, Luís Filipe Vieira”, acrescenta a nota dos 'encarnados'.

O Benfica adianta ter ficado provada "a adequação social e política" da mesma isenção e que esta estava "dentro do que está determinado por lei", tendo ainda reiterado a sua indignação "pelas constantes suspeitas públicas levantadas, tendo por base meras especulações, sem qualquer fundamento de facto ou de direito".

Na última sexta-feira, magistrados do Ministério Público realizaram buscas no Ministério das Finanças para recolha documental

O inquérito foi dirigido pela 9.º secção do DIAP de Lisboa.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.