Escolha as suas informações

Principais reivindicações da federação Horesca "vão ser atendidas"
Luxemburgo 12.02.2021

Principais reivindicações da federação Horesca "vão ser atendidas"

Principais reivindicações da federação Horesca "vão ser atendidas"

Photo: Chris Karaba
Luxemburgo 12.02.2021

Principais reivindicações da federação Horesca "vão ser atendidas"

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
A federação Horesca, que representa o setor da horeca, divulgou esta sexta-feira uma lista de reivindicações que foram atendidas pelo Governo, depois de várias reuniões de negociação com o ministro das Classes Médias, a última das quais no dia de ontem.

Entre as novidades saídas da reunião desta quinta-feira com o ministro da tutela, Lex Delles, a federação que reagrupa hotéis, restaurantes e cafés, garante que o governante apresentou no Conselho de Ministros de hoje o prolongamento da ajuda de custos não cobertos até junho de 2021. 


Maior manifestação de sempre da Horeca entrega pedido de medidas urgentes a deputados
Na maior manifestação de sempre da Horeca toda a gente reparou que o representante do setor não estava presente.

A Horesca garante que esta ajuda vai ser ainda alargada, a partir desde mês, às empresas recém-criadas (em atividade depois de 15 de março de 2020), enquanto para as empresas em fecho administrativo, o Estado vai assumir 100% dos custos não cobertos.

Para os hotéis com quebra do volume de negócios de 75% em relação a 2019, o montante da ajuda para custos não cobertos também será de 100%. Já as empresas em processo de encerramento administrativo, mas ainda ativas vão ser apoiadas com uma isenção de taxa sobre 25% das receitas registadas nos serviços 'take away' e entrega.

Por fim, a federação do setor horeca refere que o ministro das Classes Médias apresentou ainda no Conselho de Ministros de hoje a reivindicação que pedia o aumento dos limites máximos da ajuda para custos não cobertos em 50%.De fora das reivindicações aceites pelo governante, fica a retroatividade do auxílio de custos não cobertos. 

A Horesca garante que vai continuar a exigir a extensão de todas as ajudas até ao final de 2021, conforme planeado pela Comissão Europeia e lutar pela redução do imposto sobre o valor acrescentado (IVA) no setor para os 3%.

Outra exigência que permanece é a prorrogação dos 'vouchers' para serem usados em hotéis e pousadas ou a introdução de um novo 'voucher' válido até ao final de 2021 para apoiar a hotelaria.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Horeca. Mais apoios, pausa na contestação
À espera "para ver no que dá", o movimento que está por detrás das manifestações que têm invadido a centro da capital vai guardar os cartazes em casa esta semana. Restaurantes e bares voltam à carga se os novos apoios não funcionarem, como explicou ao Contacto um dos porta-vozes do Horeca Tous Ensemble.