Escolha as suas informações

Primeira imagem do buraco negro vale a cientistas prémio de 2,7 milhões de euros
Luxemburgo 03.11.2019 Do nosso arquivo online

Primeira imagem do buraco negro vale a cientistas prémio de 2,7 milhões de euros

Primeira imagem do buraco negro vale a cientistas prémio de 2,7 milhões de euros

Luxemburgo 03.11.2019 Do nosso arquivo online

Primeira imagem do buraco negro vale a cientistas prémio de 2,7 milhões de euros

O astrofísico português Hugo Messias faz parte da equipa premiada que conseguiu tirar a 'fotografia' a um destes mistérios do espaço.

A equipa de cientistas, que inclui o astrofísico português Hugo Messias, que obteve a primeira imagem de um buraco negro recebe hoje um prémio de três milhões de dólares (2,7 milhões de euros) pelo trabalho inédito.  

O Prémio Breakthrough, atribuído nos Estados Unidos, reconhece avanços científicos de excelência, tendo como patrocinadores Mark Zuckerberg, um dos fundadores do Facebook, e Sergey Brin, ex-presidente da Google.

A "fotografia" do buraco negro - localizado no centro da galáxia M87, a 55 milhões de anos-luz da Terra, e com uma massa 6,5 mil milhões de vezes superior à do Sol - foi apresentada em abril e foi conseguida graças aos dados recolhidos das observações feitas, no comprimento de onda rádio, com uma rede de oito radiotelescópios espalhados pelo mundo, que funcionaram como um só e com uma resolução sem precedentes.

O "telescópio gigante" foi designado Event Horizon Telescope, tendo Hugo Messias participado nas observações com um dos radiotelescópios, o ALMA, no Chile.

A equipa internacional de 347 cientistas que obteve a primeira imagem de um buraco negro supermaciço, neste caso a sua silhueta formada por gás quente e luminoso a rodopiar em seu redor, foi premiada na categoria de Física Fundamental.

Lusa


Notícias relacionadas