Escolha as suas informações

Presidênciais norte-americanas: Últimas sondagens dão vantagem a Clinton sobre Trump
Luxemburgo 06.11.2016 Do nosso arquivo online

Presidênciais norte-americanas: Últimas sondagens dão vantagem a Clinton sobre Trump

Presidênciais norte-americanas: Últimas sondagens dão vantagem a Clinton sobre Trump

Foto: Alain Piron
Luxemburgo 06.11.2016 Do nosso arquivo online

Presidênciais norte-americanas: Últimas sondagens dão vantagem a Clinton sobre Trump

As últimas sondagens antes das eleições presidenciais de terça-feira nos Estados Unidos dão à candidata democrata, Hillary Clinton, uma vantagem de entre três e cinco pontos sobre o republicano Donald Trump.

As últimas sondagens antes das eleições presidenciais de terça-feira nos Estados Unidos dão à candidata democrata, Hillary Clinton, uma vantagem de entre três e cinco pontos sobre o republicano Donald Trump.

Apesar da queda de Clinton na última semana, Trump tem sido incapaz de superar os 43% e de conquistar o voto dos indecisos, na opinião dos analistas.

Uma sondagem publicada hoje, e realizada entre 01 e 04 de novembro para o jornal Washington Post e para a cadeia de televisão ABC News, dá a Trump 43% nas intenções de voto, cinco pontos percentuais abaixo de Clinton, com 48%.

Já o “site” Politico e a consultora Morning Consult situam o apoio a Trump nos 42% e o de Clinton nos 45%, a nível nacional, segundo uma sondagem feita na sexta-feira e sábado.

Outro estudo publicado hoje e realizada conjuntamente para o diário The Wall Street Journal e a cadeia e televisão NBC mostra um apoio de 44% para Clinton e 40% para Trump.

A média das principais sondagens, feita pela RealClearPolitic, que tem em conta os candidatos minoritários dos Verdes e dos Libertários, estima um apoio a Clinton de 44,9% e 42,7% para Trump.

 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

EDITORIAL: Mundo sustém respiração
EDITORIAL POR JOSE LUIS CORREIA - Hillary Clinton ou Donald Trump, qual o próximo ocupante da Casa Branca? A resposta chega na terça-feira, 8 de novembro. Entretanto, meio mundo está expectante e anseia pelo mal menor.