Escolha as suas informações

Preços baixaram em julho devido aos saldos
Luxemburgo 06.08.2020 Do nosso arquivo online

Preços baixaram em julho devido aos saldos

Preços baixaram em julho devido aos saldos

Luxemburgo 06.08.2020 Do nosso arquivo online

Preços baixaram em julho devido aos saldos

Manuela PEREIRA
Manuela PEREIRA
Mas a taxa de inflação subiu para 0,9%, mais 0,2 pontos percentuais do que em julho de 2019.

O Índice de Preços no Consumidor (IPC) recuou 0,5% em julho face ao mês anterior. A explicar esta queda ligeira dos preços no Luxemburgo estão os saldos de verão, de acordo com os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (Statec). Até porque se se neutralizar as variações devidas aos saldos e se excluir os produtos petrolíferos, os preços dos outros bens e serviços subiram 0,1 ponto percentual.

O vestuário e o calçado travaram assim o custo de vida no mês passado. Quem comprou esses artigos pagou em média menos 10,6% do que no mês de junho.

A puxar os preços para baixo estiveram também artigos de bijuteria e relojoaria (-4,3%).

Em queda menos acentuada estão os produtos alimentares, cujos preços recuaram em média 1% na comparação mensal. Fruta (-3,1%), legumes (-5,4%) e peixe e marisco (0,8%) ficaram mais baratos. Mas ao compararmos com julho de 2019 regista-se uma subida. A alimentação está 2,3% mais cara do que há um ano e os preços subiram quase 1% face ao mês de fevereiro. Com esta última comparação, o Statec explica, embora de forma implícita, que os produtos alimentares estão mais caros devido à pandemia de covid-19. Já que fevereiro foi o mês que precedeu a eclosão da crise pandémica no país, com o primeiro caso a ser diagnosticado a 29 de fevereiro.

Em alta e pelo segundo mês consecutivo estão os produtos petrolíferos. O preço do gasóleo subiu 4,3% e o da gasolina 3,9%. No caso do gasóleo de aquecimento a variação mensal dos preços foi de 10,5%.

Feitas as contas, a taxa de inflação subiu para 0,9%, mais 0,2 pontos percentuais do que em julho de 2019.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas