Escolha as suas informações

Português é o terceiro idioma mais falado nas casas do Luxemburgo
Luxemburgo 29.01.2020 Do nosso arquivo online

Português é o terceiro idioma mais falado nas casas do Luxemburgo

Português é o terceiro idioma mais falado nas casas do Luxemburgo

Luxemburgo 29.01.2020 Do nosso arquivo online

Português é o terceiro idioma mais falado nas casas do Luxemburgo

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
A língua francesa é a mais utilizada no meio profissional e a luxemburguesa a mais usada nos lares do Grão-Ducado.

Três em cada quatro residentes trabalham num ambiente plurilingue, onde 25% dos trabalhadores dominam quatro ou mais idiomas. Mesmo assim, o francês (78%) é o mais falado no meio laboral do Grão-Ducado, revela um estudo do Statec hoje divulgado.

Já nos lares, a língua francesa (32%) passa para segundo lugar, sendo o o luxemburguês (53%), o principal idioma. Em terceiro lugar ouve-se a língua de Camões (19%).

Mas os residentes neste país expressam-se em mais do que um idioma, dada a diversidade de nacionalidades que aqui residem.

O estudo do Statec refere que no meio laboral a maioria comunica em dois idiomas (29%) mais do que apenas numa só língua (26%). 20% dos trabalhadores utilizam mesmo três línguas nos seus empregos e 19% quatro idiomas.

Já em casa, reina de longe um único idioma (69%), sendo apenas 20% os residentes que em família se expressam em duas línguas e 11% em três idiomas.

As profissões mais 'portuguesas'

Quanto às profissões é no setor da construção onde mais se ouve falar português (58%), aqui é a segunda língua atrás da francesa, seguindo-se os serviços administrativos e de apoio (47%), entre eles a limpeza de edifícios, “dois setores de forte presença de mão-de-obra portuguesa”, indica o Statec.

O terceiro setor onde o português está bem presente é o da restauração (26%), depois comércio (23%), indústria e serviços de saúde e ação social (15%). No oposto, ouve-se falar pouco o idioma português nos locais de ensino (3%), nas atividades financeiras e de seguros (4%) e na administração pública (6%).

O idioma de Camões está melhor representado entre os trabalhadores com um nível de escolaridade mais baixa, enquanto as línguas luxemburguesa e alemã são mais utilizadas pelos trabalhadores com um nível de ensino médio, indica o Statec.

No geral, entre os 24% da população de outras nacionalidades que não a luxemburguesa a língua mais popular é o francês (31%) e logo depois o português (25%) e o inglês (9%).

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Lição n°5: Escola Internacional deDifferdange recebe primeiros alunos
A Escola Internacional de Differdange (EIDD) começa a funcionar na segunda-feira, dia 12 de Setembro. Os alunos das primeiras nove turmas chegam este mês e, gradualmente, virão os restantes 1.400 até 2018, ano em que a escola deverá estar definitivamente concluída. Para este primeiro ano lectivo foram contratados 18 professores.
Os portugueses são a segunda nacionalidade mais representada na nova escola, com 25 alunos entre os 110 inscritos. Apesar disso, por falta de interesse na língua portuguesa, a escola arranca sem aulas de português no primário