Escolha as suas informações

Portugal. Ministra nega interferência na escolha de procurador no Luxemburgo
Luxemburgo 15.10.2020

Portugal. Ministra nega interferência na escolha de procurador no Luxemburgo

Portugal. Ministra nega interferência na escolha de procurador no Luxemburgo

Foto: Lusa
Luxemburgo 15.10.2020

Portugal. Ministra nega interferência na escolha de procurador no Luxemburgo

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
Depois da polémica escolha, Francisca Van Dunen explicou em sede de Comissão Parlamentar que a indicação do procurador europeu foi feita pelo Conselho Superior do Ministério Público.

A ministra portuguesa da Justiça garantiu na quarta-feira no Parlamento que a nomeação do procurador europeu destacado para o Luxemburgo em representação de Portugal, José Guerra, não teve qualquer interferência do Governo e que foi uma opção do Conselho Superior do Ministério Público.

Depois da polémica escolha, Francisca Van Dunen explicou em sede de Comissão Parlamentar que a indicação do procurador europeu foi feita pelo Conselho Superior do Ministério Público e que o Governo apenas apoiou essa decisão depois de ter havido internamente um processo de seleção.

Recorde-se que o júri internacional escolheu a magistrada do Ministério Público, Ana Carla Almeida, que se encontra a investigar casos que envolvem personalidades ligadas ao partido que sustenta o atual Governo português. No entanto, foi o magistrado José Guerra que acabou por ser nomeado a 27 de julho, para um mandato de três anos. A Procuradoria Europeia, órgão independente de combate à fraude, tem sede em Kirchberg e foi inaugurada a 28 de setembro.  

(Com Lusa)

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas