Escolha as suas informações

Polícia lusodescendente recebe prémio de cidadão europeu do ano no Luxemburgo
Luxemburgo 26.10.2017

Polícia lusodescendente recebe prémio de cidadão europeu do ano no Luxemburgo

O eurodeputado luxemburguês Claude Turmes entregou o prémio a Davide Sousa.

Polícia lusodescendente recebe prémio de cidadão europeu do ano no Luxemburgo

O eurodeputado luxemburguês Claude Turmes entregou o prémio a Davide Sousa.
Foto: Polícia grão-ducal
Luxemburgo 26.10.2017

Polícia lusodescendente recebe prémio de cidadão europeu do ano no Luxemburgo

Um agente da Polícia do Grão-Ducado do Luxemburgo de origem portuguesa, Davide Sousa, recebeu hoje o prémio de cidadão europeu 2017, atribuído anualmente pelo Parlamento Europeu a cidadãos ou organizações nos vários Estados-membros.

Um agente da Polícia Grã-Ducal de origem portuguesa, Davide Sousa, recebeu hoje o prémio de cidadão europeu 2017, atribuído anualmente pelo Parlamento Europeu a cidadãos ou organizações nos vários Estados-membros.

O prémio, entregue hoje ao inspetor-chefe Davide Sousa, visa recompensar o agente da Polícia grã-ducal pelo serviço prestado em missões no estrangeiro na Geórgia, Bósnia e em Itália, com a agência europeia Frontex, e pela sua contribuição no “combate à fraude social”, segundo o comunicado do Parlamento Europeu.

De acordo com a nota, no decorrer de uma investigação Davide Sousa “revelou um esquema de fraude social de dimensões europeias”. Em causa estavam pessoas noutros Estados-membros que “utilizavam moradas fictícias no Luxemburgo” para obter subsídios e apoios sociais neste país. Graças à iniciativa do agente da Polícia luxemburguesa, “que fez diligências para além do âmbito do seu trabalho”, o Estado luxemburguês recuperou “somas substanciais”, pode ler-se na nota. 

Davide Sousa, de 41 anos, é inspetor-chefe no comissariado de Atert, em Rambrouch. O lusodescendente é neto de de um português que era guarda fiscal em Chaves, terra de onde a família era originária. 

A atribuição do prémio de cidadão europeu a Davide Sousa foi proposta pelo eurodeputado luxemburguês Claude Turmes. Esta é a primeira vez que o prémio é atribuído a um agente da Polícia.

O prémio de cidadão europeu do ano é atribuído desde 2008 pelo Parlamento Europeu a um destinatário por cada Estado-membro, tendo como objetivo “recompensar atividades excecionais" desempenhadas por cidadãos ou organizações que "promovam o reforço dos valores consagrados na Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia". 

Correção: uma versão anterior deste artigo referia que o pai de Davide Sousa era polícia, citando o jornal l'Essentiel. Em entrevista ao Contacto, o inspetor-chefe corrigiu aquela informação, informando que era o avô quem foi guarda fiscal, e não o pai.


Notícias relacionadas