Escolha as suas informações

Polícia do Luxemburgo pretende contratar mais de 840 pessoas
Luxemburgo 2 min. 15.07.2019 Do nosso arquivo online

Polícia do Luxemburgo pretende contratar mais de 840 pessoas

Polícia do Luxemburgo pretende contratar mais de 840 pessoas

Foto: Pierre Matgé
Luxemburgo 2 min. 15.07.2019 Do nosso arquivo online

Polícia do Luxemburgo pretende contratar mais de 840 pessoas

Susy MARTINS
Susy MARTINS
A polícia grã-ducal vai recrutar 607 polícias e 240 civis para os seus diferentes serviços, até 2022. Os números foram avançados esta segunda-feira pelo Ministério da Segurança Interna.

O plano de recrutamento foi acertado pelo Governo e Sindicato Nacional da Polícia Grã-Ducal (SNPGL), após vários meses de negociações.

Esse plano prevê, então, o recrutamento de 607 quadros policiais e 240 civis para a polícia do Luxemburgo, nos próximos três anos. O Ministério da Segurança Interna compromete-se a aumentar o número de contratações após 2022, caso se verifique que ainda há carências nos diferentes serviços da polícia.

Para que a iniciativa de recrutamento seja coroada de sucesso, o Governo vai lançar várias campanhas de informação e de sensibilização para atrair o maior número possível de interessados.

O estabelecimento da escola de polícia em Bonnevoie vai ser alargado para poder acolher mais alunos durante esta fase de recrutamento. Trata-se de uma extensão temporária do estabelecimento escolar, uma vez que está em curso o projeto de construção de uma nova escola de polícia. De acordo com o Ministério da Segurança Interna já foi selecionada uma equipa de arquitetos para projetar a construção da escola.

O ministro da Segurança Interna, François Bauch, espera que este plano de recrutamento, juntamente com a convenção que foi recentemente assinada sobre as condições de trabalho da polícia, traga um novo dinamismo e impulso positivo aos funcionários.

Nos últimos meses viveram-se momentos de tensão entre Governo e Sindicato Nacional da Polícia por causa da falta de efetivos que levou inúmeros agentes a prestar “uma grande quantidade de horas suplementares de trabalho”.


Sindicato dos polícias rejeita abertura a agentes estrangeiros
“A Polícia não tem falta de candidatos. O problema está na grande dificuldade em passar nos testes escritos de admissão”. Esta é a reação do Sindicato Nacional da Polícia Grã-Ducal (SNPGL), à proposta do ministro da tutela, de abrir a profissão aos cidadãos não luxemburgueses.

A polícia grã-ducal só conseguiu recrutar 40 pessoas, em vez das 80 previstas, em 2018. O que levou o ministro Bausch, no início do mês de maio, a considerar recrutar candidatos que não tenham nacionalidade luxemburguesa, mediante certas condições. O domínio da língua luxemburguesa seria um dos principais critérios. Uma ideia que foi desde logo rejeitada pelo sindicato dos polícias que apontou do dedo “o elevado número de chumbos dos recrutas nos testes escritos de admissão”. Segundo o sindicato, 122 candidatos chumbaram num lote de 198 que se apresentaram a exame em 2018.

Atualmente trabalham para a polícia grã-ducal 2.200 pessoas, das quais 1.840 são polícias e 360 são civis. A polícia recruta regularmente civis, tais como mecânicos, informáticos, psicólogos ou juristas.


Notícias relacionadas

O homem que esta tarde tentou fugir à polícia em Bonnevoie, na cidade do Luxemburgo, e foi alvejado na fuga, acabou por não resistir aos ferimentos provocados pelas balas e morreu, de acordo com informação policial.