Escolha as suas informações

Polícia chamada a intervir 739 vezes em casos de violência doméstica
Luxemburgo 26.09.2019 Do nosso arquivo online

Polícia chamada a intervir 739 vezes em casos de violência doméstica

Polícia chamada a intervir 739 vezes em casos de violência doméstica

Foto: Arquivo LW
Luxemburgo 26.09.2019 Do nosso arquivo online

Polícia chamada a intervir 739 vezes em casos de violência doméstica

A grande maioria das vítimas continuam a ser as mulheres: 66%.

A polícia luxemburguesa foi obrigada a intervir em 739 casos de violência doméstica durante o ano de 2018, um aumento de 3,3% em relação a 2017.

Segundo os dados do relatório apresentado ontem pela ministra da Igualdade, Taina Bofferding, foram expulsos de casa 231 agressores (mais 14 do que no ano precedente).

Em média, a polícia interveio 62 vezes e expulsou 19 agressores por mês.

Quanto às vítimas, 66% são do sexo feminino e 34% do sexo masculino, mas há também vítimas colaterais, como os filhos que assistem casos de violência, refere o relatório.

Em reação a estes números, a ministra Taina Bofferding sublinhou que “a violência não é nem uma normalidade, nem uma banalidade” e que o recurso à violência é “inaceitável”.

Durante a apresentação do relatório, Taina Bofferding anunciou ainda uma nova campanha de prevenção contra a violência doméstica e o lançamento do site violence.lu, com o objetivo de sensibilizar o público sobre esta matéria.

HB


Notícias relacionadas

Violência doméstica. Os maridos que são agredidos pelas mulheres
As mulheres são de facto as grandes vítimas desta violência. Mas também há agressoras. No Luxemburgo, em 2018, houve 313 mulheres a agredir companheiros e filhos. Os homens foram 712. Especialistas explicam as razões que levam a esta troca de papéis, a "vergonha" sentida pelos homens vítima e como ajudar ambas as partes.