Escolha as suas informações

Poderoso mafioso é detido no Luxemburgo
Luxemburgo 3 1 4 min. 13.08.2019

Poderoso mafioso é detido no Luxemburgo

Poderoso mafioso é detido no Luxemburgo

Luxemburgo 3 1 4 min. 13.08.2019

Poderoso mafioso é detido no Luxemburgo

Santo Rumbo é um mafioso moderno, vaidoso, cuida do corpo e gosta de se mostrar, a si e aos seus amigos, na sua conta do Facebook.

Santo Rumbo, é um italiano, de 30 anos, que de santo nada tem. Era o líder da ‘filial’ canadiana de uma das máfias mais poderosas do mundo, a calabresa Ndrangheta.

Santo Rumbo chefiava a ‘Canadian Ndrangheta Connection’ e foi preso no Luxemburgo, na última sexta-feira, dia 9 de agosto.

Santo Rumbo
Santo Rumbo

Este italiano foi detido em Soleuvre numa operação conjunta pela polícia do Grão-Ducado em colaboração com a polícia italiana através de um mandado de captura internacional, noticia o Wort. A detenção foi feita no mesmo dia em que mais 27 membros da desta máfia que opera no Canadá também foram detidos em Itália, numa mega operação conjunta entre Itália e o Canadá que durou anos.

 Segundo o Wort apurou Santo Rumbo era presença regular no Grão-Ducado embora não acham evidências de alguma atividade da sua organização no Grão-Ducado.

Um mafioso vaidoso e moderno

Este italiano subiu na hierarquia da família e passou a comandar as operações em Siderno quando o seu pai foi preso e condenando a 16 anos de prisão, em 2014, tinha ele 26 anos.

Santo Rumbo é um mafioso moderno. Bem parecido, vaidoso, gosta de se mostrar no Facebook, embora possua poucas fotos, onde na sua conta apenas consta que estudou na Universidade da Calábria. Sobre si, nada mais. A última imagem publicada é de 5 de janeiro.

Também as autoridades policiais se modernizaram e a polícia italiana colocou nas suas páginas das redes sociais uma das operações de buscas a uma das famílias da ‘Canadian Ndrangheta Connection’. 

Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.

Uma equipa de agentes especiais, também eles bem parecidos, segue noite dentro, pulando muros, entrando em casas, procurando em gavetas e móveis por provas, viajando quilómetros e chegando ao amanhecer à esquadra com dois detidos. Aqui são os detidos que têm a cara desfocada, não os agentes especiais. 

As falhas da máfia 

De acordo com o comunicado da polícia italiana esta mega-operação e todas estas detenções terminaram em sucesso devido a falhas na organização mafiosa. E à competência de agentes infiltrados, na organização italiana.

Porém, as famílias em York sabiam que estavam a ser escutadas, como conta o jornal canadiano National Post, a 11 de agosto, que indica ainda que metade dos detidos em Itália são canadianos ou residem no Canadá. Mas todos pertencem às famílias da máfia calabresa.

Segundo esta publicação, um chefe da mafia de Itália terá visitado a organização no Canadá e sem o saber o seu telemóvel estaria sob escuta e a transmitir as conversas para a polícia italiana.

Porém, o mafioso canadiano alertara-os logo de início para se ter cuidado com todas as conversas dentro e fora de portas pois a polícia poderia estar a escutar tudo o que dissessem. O que eles não sabiam é que um dos smartphones de um dos visitantes estava vigiado.

 23 milhões e 500 contas bancárias

 Já em julho, segundo notícias da imprensa canadiana, a polícia de York, em Toronto, prendeu dez membros da 'Canadian Ndrangheta Connection'.  A Polícia da Região de York colocou também fotos das rusgas no Twitter.

Segundo as autoridades de York, as detenções constituíram a maior operação anti-máfia da história da região, confiscando carros de luxo, casas, 23 milhões de dólares (20,52 milhões de euros) em dinheiro e o cancelamento de 500 contas bancárias. As acusações prendem-se com crimes de tráfico de cocaína, lavagem de dinheiro e apostas desportivas ilegais. Para esta polícia esta máfia "é muito violenta e perigosa". 

A investigação dos dois países a esta extensão da máfia calabresa no Canadá só foi possível graças a um crime e a uma vingança entre as duas famílias Muia Figliomeni da' Canadian Ndrangheta Connection' e a rival Salerno, como conta o comunicado da polícia italiana.

Na Calábria o vice-líder do clã Ndrangheta Commisso, Carmelo Muia, foi morto a tiro, em janeiro de 2018. Commisso é tida como a "mãe de todos os clãs" em Siderno, da qual fazem parte também as famílias do Canadá.

Para tentar descobrir as verdadeiras razões do assassinato do seu irmão Vincenzo, Muia foi a Toronto conhecer os irmãos Cosimo e Angelo Figliomeni. Chegaram todos à conclusão de que o ‘crime de Siderno’ como ficou conhecida a morte de Muia no Canadá foi obra da família rival Salerno, cuja antepassada se separou da Commisso, no século passado.

Membros das famílias Muia e Figliomeni mataram os irmãos Salvatore e Agostino Salerno. Segundo a polícia a retaliação era previsível e as autoridades intensificaram a vigilância.

Através deste crime e dos seus preparativos, os agentes policiais conseguiram perceber o envolvimento e o organigrama da organização mafiosa canadiana e como esta era chefiada e reportava à Ndrangheta em Itália. Toda esta história que ainda não terminou já daria um bom argumento para um filme.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas