Escolha as suas informações

Professores não vacinados ficam em casa quando houver mais de dois casos numa turma
Luxemburgo 2 min. 09.09.2021
Plano sanitário nas escolas

Professores não vacinados ficam em casa quando houver mais de dois casos numa turma

Plano sanitário nas escolas

Professores não vacinados ficam em casa quando houver mais de dois casos numa turma

Foto: dpa
Luxemburgo 2 min. 09.09.2021
Plano sanitário nas escolas

Professores não vacinados ficam em casa quando houver mais de dois casos numa turma

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Ministério da Educação explica ao Contacto as medidas para os docentes que ainda não têm vacina contra a covid-19 no novo ano escolar.

O ministro da Educação Claude Meisch estima que cerca de 90% dos professores do Luxemburgo estejam completamente vacinados quando o ano letivo começar, dia 15 de setembro. E para os 10% que não foram vacinados contra a covid-19 haverá medidas especiais caso surjam casos de infeção na turma.

"Se surgir um caso positivo na turma (cenário 1) a inspeção sanitária irá avaliar a situação para determinar se o professor [não vacinado] será ou não colocado em quarentena", em casa, explicou ao Contacto fonte do Ministério da Educação.

"A partir do momento em que haja dois ou mais casos positivos (cenários 2,3,e 4) o professor é automaticamente colocado em quarentena, sem permissão para sair", de casa, acrescentou a mesma fonte.

Foto: Luxemburger Wort/Anouk Antony

Testes duas vezes por semana

As restantes regras serão idênticas para todos os professores vacinados e não vacinados. Tanto professores como alunos "são testados duas vezes por semana, através de autotestes rápidos, voluntariamente" e no caso dos estudantes a testagem "tem de ter o acordo dos pais".

A não obrigação de uso de máscara nas salas de aulas pelos professores e alunos é a grande novidade deste novo ano escolar. 


Alunos sem máscara e testes duas vezes por semana
Os alunos não vacinados que tenham estado em contacto com um caso positivo ficam de quarentena em casa. Os vacinados ou imunizados podem continuar a ir à escola.

E, como sabe o Ministério da Educação quem são os professores que já estão vacinados e os que não foram inoculados contra a covid-19? As estatísticas relativas ao pessoal docente são fornecidas pelo Ministério da Saúde que "compara a base de dados dos professores com a das pessoas vacinadas, sob estrito anonimato", refere o Ministério da Educação.

Grande adesão à vacinação

Na semana passada, na conferência de imprensa de apresentação das regras do dispositivo sanitário para as escolas no novo ano letivo, o Ministro da Educação realçou a grande adesão dos professores e alunos à campanha de vacinação. No caso dos alunos entre os 12-18 anos, Meisch estima que pelo menos, 55% destes jovens já estejam completamente vacinados (com as duas doses da vacina) quando as aulas começarem.


Conselho de Estado critica nova 'lei covid' com duas oposições formais
Uma das críticas diz respeito ao uso de máscara nas escolas nos casos em que haja uma primeira infeção numa turma.

Para o governante a vacinação é o "elemento fundamental" deste novo ano escolar, e "que juntamente com os testes permite que as escolas e instituições de saúde voltem a funcionar, em grande parte, com normalidade", ao mesmo tempo que a "segurança em ambiente escolar é garantida".

A par com a campanha de sensibilização para a vacinação nas escolas, dirigida aos professores e alunos, a tutela está a estudar a melhor forma de a população escolar poder receber as doses das vacinas nos estabelecimentos escolares. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas