Escolha as suas informações

Petição quer acesso facilitado à nacionalidade para profissionais na linha da frente durante a pandemia
Luxemburgo 15.01.2021

Petição quer acesso facilitado à nacionalidade para profissionais na linha da frente durante a pandemia

Petição quer acesso facilitado à nacionalidade para profissionais na linha da frente durante a pandemia

Foto: AFP
Luxemburgo 15.01.2021

Petição quer acesso facilitado à nacionalidade para profissionais na linha da frente durante a pandemia

Diana ALVES
Diana ALVES
O objetivo é que os residentes estrangeiros que, devido à natureza das suas profissões, tiveram de continuar a sair para trabalhar em plena pandemia, sejam recompensados por esse esforço

Acesso facilitado à nacionalidade luxemburguesa para os profissionais que têm estado na linha da frente desde o início da crise pandémica. É o que reivindica uma nova petição pública, que pode ser assinada desde hoje no site do Parlamento.

O autor da iniciativa chama-se Thomas Andreos e aquilo que pretende é que os residentes estrangeiros que, devido à natureza das suas profissões, tiveram de continuar a sair para trabalhar em plena pandemia, sejam recompensados por esse esforço.

Thomas Andreos propõe que “o simples facto de terem trabalho na linha da frente ou terem contribuído com o seu trabalho – não abrangido pelo teletrabalho – para a manutenção da grandeza do Luxemburgo permita aos candidatos obter a nacionalidade luxemburguesa”.

A iniciativa de Thomas Andreos é uma de várias novas petições públicas acessíveis desde hoje no site do Parlamento. À semelhança dos últimos meses, várias estão relacionadas com a situação sanitária atual.

Outro dos documentos, assinado por Marc Rauchs, pede a criação imediata de um serviço de mediação que intervenha nos casos em que os trabalhadores independentes e as PME veem ser-lhes recusada a atribuição de ajudas, no âmbito da crise. Segundo Rauchs, “uma grande parte dos pedidos são chumbados”, havendo a possibilidade de o candidato recorrer da decisão nos tribunais. Ora, para o autor da iniciativa, a criação de um serviço de mediação para resolver estes casos evitaria “milhares de recursos e processos”.

As novas petições disponíveis no site da Câmara dos Deputados podem ser assinadas até ao próximo dia 25 de fevereiro. São necessárias, pelo menos, 4.500 assinaturas, digitais ou em papel, para os temas serem debatidos no Parlamento.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas