Escolha as suas informações

Petição pública exige regresso à escola só em setembro
Luxemburgo 24.04.2020

Petição pública exige regresso à escola só em setembro

Petição pública exige regresso à escola só em setembro

Foto: Guy Wolff
Luxemburgo 24.04.2020

Petição pública exige regresso à escola só em setembro

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Uma das petições reivindica a abertura das escolas fundamentais, liceus, creches e as chamadas “maisons relais“ só a partir do mês de setembro.

O site do Parlamento tem sete novas petições prontas a ser assinadas, sendo que a maioria dos documentos diz respeito à covid-19.

Uma das petições reivindica a abertura das escolas fundamentais, liceus, creches e as chamadas “maisons relais“ só a partir do mês de setembro, afim de proteger as crianças e suas famílias do novo coronavírus. A petição está online desde esta sexta-feira e já reuniu cerca de 2.500 assinaturas.


Covid-19. Mais de 13 mil pais contra a reabertura das escolas em maio
A Representação Nacional de Pais, no Luxemburgo diz que "ainda é cedo demais" para os alunos regressarem à escola. E a petição online já vai com mais de 13 mil assinaturas. Mas terá de ser relançada no site oficial do governo, porque assim não irá ao parlamento.

Recorde-se que uma petição com a mesma exigência já tinha sido lançada na semana passada.Um subsídio único para todos os trabalhadores e funcionários públicos “indispensáveis” para o funcionamento do país e que tiveram de trabalhar durante a pandemia é outra das exigência de uma outra petição. 

O documento exige assim uma recompensa para as pessoas que têm de trabalhar nesta altura de estado de emergência.Uma outra petição pede que os trabalhadores independentes tenham também direito ao desemprego parcial, com efeitos retroativos a contar do dia 15 de março último e até à retoma da economia.Se as petições recolherem pelo menos de 4.500 assinaturas até ao dia 4 de junho, será realizado um debate no Parlamento, com os autores das petições, deputados e ministros responsáveis pelos assuntos em questão.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas