Escolha as suas informações

Petição Doença de Lyme: Tânia Silva consegue recolher 7500 assinaturas
Tania Silva

Petição Doença de Lyme: Tânia Silva consegue recolher 7500 assinaturas

Chris Karaba
Tania Silva
Luxemburgo 02.12.2015

Petição Doença de Lyme: Tânia Silva consegue recolher 7500 assinaturas

Tânia Silva é portadora da doença de Lyme e lançou uma petição no Parlamento luxemburguês para pedir mais apoios, e ajudas do Estado para os doentes crónicos da doença. A iniciativa recolheu 7500 assinaturas, e agora vai ser discutida no Parlamento.

Tânia Silva é portadora da doença de Lyme e lançou uma petição no Parlamento luxemburguês para pedir mais apoios, e ajudas do Estado para os doentes crónicos da doença. A iniciativa recolheu 7500 assinaturas, e agora vai ser discutida no Parlamento.

Para que uma petição seja discutida na Câmara dos Deputados é preciso atingir as 4.500 assinaturas. Com as mais de sete mil assinaturas recolhidas, Tânia Silva vai ver a sua doença discutida no Parlamento luxemburguês.

Por mês, Tânia Silva gasta mais de mil euros em tratamentos. Alguns não são reembolsados pela Caisse Nationale de Santé.

A doença de Lyme é provocada por uma bactéria transmitida pela picada de uma carraça infectada. Os sintomas mais comuns são o cansaço e as dores corporais. Com o tempo, alguns doentes infectados podem passar para a fase crónica, com sintomas duradouros que podem deixar as pessoas debilitadas física e mentalmente.

A doença foi diagnosticada a Tânia Silva no início deste ano, depois de ter sido picada por uma carraça.

Em Dezembro de 2014 foi obrigada a deixar as aulas nocturnas que frequentava num liceu da capital, por causa dos sintomas da doença: fortes enxaquecas, problemas de memória e nas articulações.

Agora, é a vez dos deputados abordarem o assunto. Tânia Silva divulgou uma mensagem em vídeo no Facebook, onde revela o seu contentamento pelo feito conseguido.

DM


div id="fb-root">

Résultats de notre pétition nr. 567 Pour une meilleure prises en charge de la maladie de lyme.󾌬❤

Posté par Tania Silva sur mercredi 2 décembre 2015



Notícias relacionadas

Doença de Lyme tratada com pinças no Luxemburgo
A doença de Lyme é provocada por uma bactéria transmitida pela picada de uma carraça infectada. Os sintomas mais comuns são o cansaço e as dores corporais. Com o tempo, alguns doentes infectados podem passar para a fase crónica, com sintomas duradouros que podem deixar as pessoas debilitadas física e mentalmente. Saiba mais sobre esta doença.
Doença transmitida pela carraça: Portuguesa quer mais comparticipações para tratamento da doença de Lyme
Uma portuguesa apresentou uma petição no Parlamento luxemburguês para reclamar que os tratamentos da doença de Lyme tenham mais comparticipação do Estado, uma iniciativa que já recolheu 567 assinaturas desde que foi admitida no site da Câmara dos Deputados, na quinta-feira. A autora da petição, a portuguesa Tânia Silva, encontra-se na fase crónica da doença transmitida pela carraça e diz que não consegue suportar os cerca de mil euros mensais dos tratamentos.
Tania Silva
8% da população já esteve em contacto com bactéria transmitida pela carraça
Chama-se Associação Luxemburguesa Borreliose de Lyme, foi criada no início de Junho deste ano, e tem por objectivos promover a investigação, o diagnóstico e tratamento da doença de Lyme. Uma doença causada por uma bactéria transmitida pela carraça. No Luxemburgo, 8% da população já esteve em contacto com a bactéria.
31.7. Contacto / ITV Sofia Araujo , association luxembourgeoise Borreliose de Lyme foto: Guy Jallay