PETA

Petição tenta travar testes em animais na Universidade do Luxemburgo

Foto: Shutterstock

Foi lançada uma petição que pretende travar a Universidade de Luxemburgo de fazer testes em ratos de laboratório, nas novas instalações de Belval.

O centro, que  entrará em funções em Setembro, fará experiências em animais como parte da pesquisa de doenças neuro-degenerativas, cancro e inflamações. Nestas instalações, seis mil ratos de laboratório serão criados e divididos entre as salas de reprodução, três blocos operatórios e três salas comportamentais.

A petição, lançada por membros da PETA (Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais), já conseguiu mais de 2,100 assinaturas.

"Acreditamos, firmemente, que todos os animais têm consciência e, como tal, sentem dor e emoções, tal como os humanos", diz Alix Rassel, representante da PETA no Luxemburgo, adiantando: "[os ratos] não devem ser sujeitos a qualquer tipo de teste."

Rassil diz que se a petição chegar às 4,500 assinaturas, será submetida à Câmara de Deputados. 

Já a Universidade defende os testes em animais. "Sempre que possível, utilizamos métodos não animais, como culturas de células ou modelos computorizados." afirmou o porta-voz da universidade, aquando do anúncio da abertura deste centro, em Maio. "No entanto, estes métodos não podem simular as complexas interacções do corpo, assim, uma pequena parte das experiências requerem recorrer a animais."

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.