Escolha as suas informações

Pelo telefone: Marcelo tentou convencer português no Luxemburgo “a não desistir” de ser burgomestre
José Vaz do Rio podia ter sido o primeiro burgomestre com passaporte português no Luxemburgo.

Pelo telefone: Marcelo tentou convencer português no Luxemburgo “a não desistir” de ser burgomestre

Foto: Guy Jallay
José Vaz do Rio podia ter sido o primeiro burgomestre com passaporte português no Luxemburgo.
Luxemburgo 2 min. 10.10.2017

Pelo telefone: Marcelo tentou convencer português no Luxemburgo “a não desistir” de ser burgomestre

O imigrante português que ganhou eleições municipais no Luxemburgo no domingo mas recusou ser burgomestre disse que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o tentou convencer a não desistir.

O imigrante português que ganhou eleições municipais no Luxemburgo no domingo mas recusou ser burgomestre disse que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o tentou convencer a não desistir.

José Vaz do Rio contou ao Contacto que Marcelo lhe ligou na segunda-feira, para lhe “dar os parabéns” pela vitória na pequena localidade de Bettendorf, um feito histórico para os portugueses no Luxemburgo. Nessa altura, o Presidente da República tentou convencer o emigrante a não desistir do cargo. “Disse-me para não desistir e para ter coragem”, contou José Vaz do Rio.

 Apesar do apelo de Marcelo, o imigrante acabaria mesmo por anunciar hoje que renunciava ao cargo, um dia depois da conversa com o Presidente da República.

José Vaz do Rio assumiu o segundo lugar no executivo camarário, o de primeiro vereador, tendo a quarta classificada, a advogada Pascale Hansen, sido nomeada burgomestre, foi hoje anunciado em comunicado.

O emigrante de 61 anos, que tem dupla nacionalidade, disse que a decisão "é para o bem da autarquia" e invocou "várias razões". "Eu só tenho a quarta classe. É preciso sabermos ocupar o nosso lugar", afirmou o novo vereador, que também alegou dificuldades com o luxemburguês, a língua em que se desenrolam as reuniões do Executivo camarário.

"Escrever luxemburguês seria um ’handicap’ para mim, e em encontros com outros burgomestres ia ter dificuldades", disse. "Ia ser feio daqui a uns meses dizerem-me que não sou capaz e mandarem-me embora", acrescentou.

José Vaz do Rio garantiu hoje ao Contacto que tomou a decisão de "livre vontade", depois de se aconselhar com a família.

No domingo, o imigrante venceu as eleições municipais em Bettendorf, com 588 votos, deixando em terceiro lugar o anterior burgomestre, Albert Back, com 553 votos. José Vaz do Rio já era conselheiro municipal em Bettendorf desde 2011, altura em que foi o quinto mais votado. Nessa altura ainda só tinha o passaporte português, tendo obtido a nacionalidade luxemburguesa há um ano.

O emigrante estudou luxemburguês durante seis anos, nos cursos noturnos organizados pela autarquia. “Compreendo cem por cento e falo 80%. Agora vou ter de treinar”, afirmou no domingo, pouco depois de ser eleito.

Natural de Raíz do Monte, Vila Pouca de Aguiar, o português chegou ao Luxemburgo em 1970 e está reformado há quatro anos, depois de ter trabalhado na fábrica de pneus da Goodyear.

P.T.A.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Crónica de uma renúncia anunciada
Em Bettendorf, a alegria com a eleição de José Vaz do Rio deu lugar à desilusão. Há quem perceba as razões do português, mas também há quem esteja arrependido de ter votado nele. E há até quem desconfie que foi pressionado para ceder o lugar – uma teoria da conspiração que o português refuta com veemência. O Contacto esteve em Bettendorf e conta-lhe como foi.
O primeiro candidato com passaporte português a vencer eleições no Luxemburgo abdicou do cargo de burgomestre.
Português ganha eleições mas abdica do cargo de burgomestre
Ainda não é desta que o Luxemburgo vai ter um burgomestre com passaporte português. José Vaz do Rio ganhou as eleições na pequena localidade de Bettendorf, um feito histórico para os portugueses no país, mas decidiu renunciar ao cargo. Em vez disso, vai ser primeiro vereador.
José Vaz do Rio foi o mais votado, mas renunciou a exercer o cargo de burgomestre.