Escolha as suas informações

Paulette Lenert diz que vacinação a profissionais de saúde cria “cordão sanitário”
Luxemburgo 2 min. 30.12.2020

Paulette Lenert diz que vacinação a profissionais de saúde cria “cordão sanitário”

Paulette Lenert diz que vacinação a profissionais de saúde cria “cordão sanitário”

Foto: Chris Karaba
Luxemburgo 2 min. 30.12.2020

Paulette Lenert diz que vacinação a profissionais de saúde cria “cordão sanitário”

Sandro CABETE DOS SANTOS
Sandro CABETE DOS SANTOS
A primeira fase de vacinação é reservada aos trabalhadores dos serviços de saúde e aos profissionais de lares. Em entrevista exclusiva à Rádio Latina, a ministra da Saúde garante que a estratégia visa ser uma “dupla proteção”.

 A campanha de vacinação ‘anti-covid’ iniciada pelo Luxemburgo na segunda-feira é uma “luz ao fundo do túnel”. A pandemia pode ser travada até ao verão do próximo ano, mas só se as pessoas entenderem a importância da vacinação e se até lá cumprirem as regras sanitárias. As palavras são da ministra da Saúde, Paulette Lenert, e foram proferidas em entrevista exclusiva à Rádio Latina.

Ao contrário de outros países, como o Reino Unido, o Grão-Ducado não incluiu os idosos no grupo prioritário do plano nacional de vacinação contra o novo coronavírus. A primeira fase de vacinação é reservada aos trabalhadores dos serviços de saúde e aos profissionais de lares. A ministra da Saúde garante que a estratégia visa ser uma “dupla proteção”. Ao administrar a vacina em primeiro lugar aos profissionais de saúde, o Governo tenciona criar “um cordão sanitário”, já que estes profissionais estão em contacto direto justamente com os grupos vulneráveis.  


Mesmo se atualmente é impossível saber se as novas vacinas serão eficazes a longo prazo, Paulette Lenert diz ter “confiança total” na Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) no que diz respeito aos critérios de qualidade. Foi a EMA quem autorizou a vacina da Pfizer-BioNTec na União Europeia, considerando-a “segura”.  



Paulette Lenert apela à população para não baixar a guarda nos próximos meses e lembra que o inverno é propício à propagação do vírus.

   


A ministra da Saúde espera que a população perceba a importância da vacina, apesar de o Governo não ter imposto a sua obrigatoriedade. A vacina é gratuita e Paulette Lenert espera que as pessoas adiram à campanha de vacinação. Para perderem o medo, a governante convida os cidadãos a procurarem informação nas várias plataformas do Estado.

Este é um excerto da entrevista que Paulette Lenert concedeu à Rádio Latina e que poderá ouvir na íntegra, aqui na sua rádio, esta quinta-feira, ao meio-dia.

O Luxemburgo recebeu no sábado o seu primeiro lote de vacinas ‘anti-covid’ e prevê vacinar cerca de 36 mil pessoas até ao final do mês de março de 2021.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

“Não se pode ter a ilusão que com a vacina ficará tudo bem”
O Luxemburgo recebeu o seu primeiro lote de vacinas ‘anti-covid’ e prevê vacinar cerca de 36 mil pessoas até ao final do mês de março de 2021. Mas “os meses de inverno, mais difíceis, ainda aí vêm”, alerta em entrevista a ministra da Saúde, Paulette Lenert.
Comissão europeia quer os 27 estados a vacinar no mesmo dia
A presidente da Comissão Europeia exortou hoje a União Europeia a iniciar "tão cedo quanto possível" uma campanha de vacinação contra a covid-19, a arrancar em simultâneo nos 27 Estados-membros, para assegurar a erradicação do "vírus horrível".
Ursula von der Leyen