Escolha as suas informações

Patiente Vertriedung quer plano de vacinação concreto
Luxemburgo 22.01.2021

Patiente Vertriedung quer plano de vacinação concreto

Patiente Vertriedung quer plano de vacinação concreto

AFP
Luxemburgo 22.01.2021

Patiente Vertriedung quer plano de vacinação concreto

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Após três semanas de vacinação, está na altura da população ser informada do plano de vacinação.

A associação de defesa dos direitos dos pacientes (Patriente Vertriedung, em luxemburguês) acusa o governo de não ter um plano concreto de vacinação contra a covid-19, salientando num comunicado que durante meses o Governo alimentou a esperança numa vacina contra a covid-19, mas que agora não tem plano concreto.

Em comunicado, a organização garante que tanto ela como os médicos recebem todos os dias telefonemas de pessoas que querem obter mais informações sobre a vacina.

A Patiente Vertriedung insta, por isso, o governo a apresentar uma calendarização do plano de vacinação, defendendo que, após três semanas de vacinação, está na altura da população ser informada. Mais concretamente, saber quando poderá esperar tomar a vacina.

A associação lembra que após a vacinação dos profissionais de saúde, seguem as pessoas vulneráveis e de idade. Embora o Estado tenha acesso à data de nascimento das pessoas, não sabe quem sofre de diferentes patologias para ser reconhecida como pessoa vulnerável. Ora, segundo a organização, os médicos ainda não foram consultados para definir que pessoas são vulneráveis para poderem receber o seu convite para a vacina contra a covid-19.

Outro problema segundo a Patiente Vertriedung é o tempo que leva para administrar as vacinas. A 13 de janeiro havia 8 mil doses de vacinas no Luxemburgo, mas só 2.871 pessoas tinham recebido a primeira dose. Daí o pedido para diminuir a diferença entre as vacinas disponíveis e as pessoas que são realmente vacinadas. Uma solução seria segundo a associação, que toda a população receba agora um questionário, em que especifica claramente se quer ou não ser vacinada. Um processo que poderá ajudar na planificação da campanha de vacinação no país.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Imunidade de grupo ainda é uma miragem
Sem "influência direta" no mercado e na chegada das vacinas ao Grão-Ducado, o Governo admite que "ainda não é possível apontar uma data" para a imunização de, pelo menos, 70% dos residentes. A Universidade do Luxemburgo diz que é possível fazê-lo em três meses. Basta que 2.700 pessoas sejam vacinadas por dia.
Lokales, Impfzentrum Esch Belval, maison des matériaux, Gebäude Nord Foto: Luxemburger Wort/Anouk Antony