Escolha as suas informações

Passaporte luxemburguês entre os cinco mais poderosos do mundo
Luxemburgo 2 min. 21.07.2022
Ranking

Passaporte luxemburguês entre os cinco mais poderosos do mundo

Ranking

Passaporte luxemburguês entre os cinco mais poderosos do mundo

Foto: Lex Kleren
Luxemburgo 2 min. 21.07.2022
Ranking

Passaporte luxemburguês entre os cinco mais poderosos do mundo

Laura BANNIER
Laura BANNIER
O documento abre as fronteiras de 189 países.

Embora todos tenham mais ou menos a mesma aparência, os passaportes estão longe de proporcionar aos seus titulares as mesmas vantagens. Isto é particularmente evidente no ranking trimestral da Henley & Partners, que classifica os passaportes com o melhor acesso a países de todo o mundo.

E, a este respeito, os luxemburgueses estão longe de ser os que estão em pior situação. De facto, estão numa boa posição, uma vez que o seu passaporte lhes permite o acesso a nada menos que 189 países sem visto, ou com um visto de entrada. Isto é suficiente para garantir o quarto lugar do Grão-Ducado nesta tabela publicada na quarta-feira, ex æquo com a Finlândia e Itália.

No entanto, os países europeus estão a ser destronados pelos asiáticos. Os três primeiros são o Japão (193 países), seguido da Coreia do Sul, que está empatada com Singapura (192 países). No entanto, no resto dos top 10, são os países da União Europeia que dominam.

Portugal está no sexto lugar da lista

A Alemanha e Espanha (190 destinos) estão em terceiro lugar, enquanto a Dinamarca, os Países Baixos e a Suécia (188 destinos) estão logo atrás do Luxemburgo, em quinto lugar. A França está em sexto lugar, partilhado com a Irlanda, o Reino Unido e Portugal (187 destinos). A Bélgica é, portanto, o país da Grande Região que abre menos fronteiras, com 186 países acessíveis sem visto, ou com um visto de entrada, como os Estados Unidos, Noruega, Suíça e Nova Zelândia.


Consulado virtual e autenticação biométrica disponíveis no segundo trimestre de 2023
O objetivo do consulado virtual é "promover o acesso a serviços consulares digitais para portugueses residentes no estrangeiro". Já a autenticação biométrica promete facilitar a vida a quem está mais longe.

Nos três últimos lugares deste ranking, que é realizado de três em três meses por este gabinete de consultadoria de cidadania, encontramos a Síria (30 países), Iraque (29 países) e Afeganistão (27 países). 

Mas a Henley & Partners não só estabelece uma classificação, como também a analisa. Nesta publicação, os especialistas explicam que "existe uma forte correlação entre a força do passaporte de uma nação e a sua tranquilidade".

Para classificar os passaportes, a firma tem utilizado a mesma metodologia desde 2006. Ao comparar o acesso de 199 passaportes a 227 destinos, a Henley & Partners dá um ponto para cada país onde não é necessário visto para além do passaporte. O mesmo se aplica se o passaporte permitir um visto, uma autorização de visitante ou uma autorização electrónica de viagem para entrar.


Passaportes dos EUA passam a poder ter um "X" na opção do género
Qualquer pessoa que solicite um passaporte nos Estados Unidos poderá, a partir de 11 de abril, colocar um "X" em vez de escolher "masculino" ou "feminino", foi anunciado esta quinta-feira, a propósito do Dia Internacional da Visibilidade Transgénero.

Se for necessário um visto ou um visto eletrónico aprovado pelo governo antes da partida, é atribuído ao passaporte em questão um valor de "0". O mesmo se aplica quando é necessária uma aprovação do governo antes da partida para um visto à chegada. No final, a cada passaporte é atribuído um número de pontos que depois determinam qual é o passaporte mais poderoso. Note-se que as restrições de tráfego colocadas em resultado da pandemia de covid-19 não são tidas em conta no ranking.

(Este artigo foi originalmente publicado na edição francesa do Luxemburger Wort.)

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas