Escolha as suas informações

OGBL exige mais respeito pelos trabalhadores da limpeza e segurança privada
Luxemburgo 15.06.2020 Do nosso arquivo online

OGBL exige mais respeito pelos trabalhadores da limpeza e segurança privada

OGBL exige mais respeito pelos trabalhadores da limpeza e segurança privada

Foto: Fick Maurice/Point24
Luxemburgo 15.06.2020 Do nosso arquivo online

OGBL exige mais respeito pelos trabalhadores da limpeza e segurança privada

Diana ALVES
Diana ALVES
É uma reivindicação da OGBL. O sindicato exige mais respeito e melhores condições de trabalho para os trabalhadores dos setores da limpeza e da segurança privada.

A reivindicação é feita no âmbito do 30.º aniversário do Dia Internacional da Justiça (“International Justice Day”, na designação original), que se assinala hoje. 

A iniciativa anual é organizada pela UNI Global Union, com sede nem Nyon, na Suíça, para reclamar mais respeito e melhores condições de trabalho para os profissionais daqueles setores.

Num comunicado de imprensa divulgado hoje, a OGBL diz que se trata de prestar homenagem a estes trabalhadores e às suas funções “muitas vezes desconhecidas e subestimadas”, e cuja “importância primordial” foi demonstrada durante este período de crise sanitária.

A central sindical lembra que, desde o início do confinamento, “estes profissionais foram considerados essenciais e que muitos continuaram a trabalhar sem a devida proteção (máscaras, desinfetantes, luvas, etc.) e a fazer até 12 horas por dia e 60 por semana”.

A OGBL considera que, embora haja um maior reconhecimento do seu trabalho por parte da sociedade civil, continua a faltar uma valorização no seio das direções das empresas e das organizações patronais, e aponta o dedo à FEDIL (federação que representa as empresas da indústria luxemburguesa).

O sindicato denuncia “contratos de trabalho precários, ordenados próximos do salário mínimo e horários de trabalho irregulares que comprometem o equilíbrio entre vida privada e profissional”. 

A OGBL diz por isso que “não chega chamar estes trabalhadores de heróis em tempos de crise” e reivindica “ações fortes e imediatas por parte do patronato e dos atores políticos”.

Além da revalorização salarial, a estrutura sindical exige que estes trabalhadores tenham acesso a “perspetivas reais de carreira e formação contínua” e que as empresas e instituições públicas parem com o “recurso sistemático” a serviços externos (outsourcing) no que toca às atividades de limpeza e segurança privada. 

O maior sindicato do país defende ainda que estes profissionais recebam um ‘bónus covid-19’ de forma a reconhecer o seu “empenho sem falhas” ao longo das últimas semanas.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Cerca de 600 trabalhadores do grupo SERVIOR arriscam-se a ver as suas condições de trabalho degradarem-se caso o governo avance com a privatização do setor de cuidados de saúde. O alerta é OGBL que manifesta o seu desagrado com a intenção do Executivo.