Escolha as suas informações

O que muda com o fim do estado de emergência?
Luxemburgo 24.06.2020

O que muda com o fim do estado de emergência?

O que muda com o fim do estado de emergência?

Foto: Luxemburer Wort
Luxemburgo 24.06.2020

O que muda com o fim do estado de emergência?

Numa breve conferência de imprensa a ministra da Saúde, Paulette Lenert, e o Diretor Geral da Saúde, Jean-Claude Schmit, traçaram o roteiro dos próximos capítulos. O objetivo é evitar um novo confinamento.

Terminado o estado de emergência, o governo luxemburguês está empenhado para evitar quer uma segunda vaga de contágios, quer um novo confinamento. 

A partir desta quinta-feira a chamada "lei covid" entra em vigor. Numa breve conferência de imprensa a ministra da Saúde, Paulette Lenert, e o Diretor Geral da Saúde, Jean-Claude Schmit, traçaram o roteiro dos próximos capítulos. 

O objetivo é não recuar no "trabalho feito" e "evitar uma nova quarentena". Assim, o uso de máscara nos transportes e nos espaços públicos passa a ter força de lei. O mesmo se aplica as regras de distanciamento social. Daqui em diante, as reuniões com mais de 20 pessoas passam a ser permitidas, desde que as pessoas estejam sentadas e com a devida proteção facial. Até ordem em contrário, as feiras estão proibidas e as discotecas são encerradas. 


Covid-19. Confirmado. Rendas das casas congeladas até ao final do ano
Governo prolonga prazo de proibição de aumento de rendas. O Fundo de Habitação passou a receber 700 chamadas por dia de pedidos de subsídios, com esta crise, avançou ministro.

"Isto não muda muito em comparação com as últimas medidas de desconfinamento tomadas pelos regulamentos do Grão-Ducado, são sobretudo algumas adaptações e uma série de recomendações", resumiu a ministra em luxemburguês. Avessa a proibições, Paulette Lenert voltou a apelar ao sentido de responsabilidade dos residentes no Grão-Ducado e insistiu que "não é hora de relaxar". 

Salientando especificamente os casos da Alemanha e de Portugal, a governante mostrou-se determinada a "evitar a imposição de um novo confinamento" para minonar as "consequências económicas" do cenário. "Ainda estamos num contexto de crise, a urgência mantém-se", insistiu.

Quarentena caso a caso 

Neste sentido, o Diretor Geral da Saúde adiantou que no caso de uma nova infeção ser detetada num escritório ou numa sala de aula, poderá ser decidida uma quarentena "caso a caso, em função da natureza dos contactos que a pessoa em causa tenha tido". 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Covid-19. Governo reduz a 10 pessoas limite para reuniões em casa
A ministra da Saúde diz que não é possível ter metade do país em casa. Para evitar isso é preciso apostar nos gestos barreira e na distância social. As medidas que o Governo vai levar ao Parlamento diminuem o número de pessoas que podem estar juntas, e aumentam as sanções para quem não cumprir.