Escolha as suas informações

O passado e o futuro ligam o Luxemburgo à Coreia do Sul
Luxemburgo 4 min. 07.12.2022
Diplomacia

O passado e o futuro ligam o Luxemburgo à Coreia do Sul

Delegação luxemburguesa visita Palácio Real de Gyeongbokgung em Seul.
Diplomacia

O passado e o futuro ligam o Luxemburgo à Coreia do Sul

Delegação luxemburguesa visita Palácio Real de Gyeongbokgung em Seul.
Foto: SIP
Luxemburgo 4 min. 07.12.2022
Diplomacia

O passado e o futuro ligam o Luxemburgo à Coreia do Sul

Madalena QUEIRÓS
Madalena QUEIRÓS
Cheira a futuro e tecnologia na Coreia do Sul. O país foi escolhido para uma missão económica de 72 horas liderado pelo ministro da Economia do Luxemburgo Franz Fayot e pelo Grão-Duque Herdeiro, Guillaume.

*Enviada especial à Coreia do Sul

O que une dois países, o Luxemburgo e a Coreia do Sul, separados por 9 mil quilómetros? O passado e o futuro. Durante os três dias que durou a missão económica, celebrou-se um passado histórico comum e assinaram-se acordos para garantir a cooperação no futuro entre os dois países.

Para o Grão–Duque Herdeiro, Guillaume, a missão económica à Coreia do Sul “foi um grande sucesso”. “A inauguração da fábrica Rotarex (que irá produzir semicondutores) que representa a grande virtude de ter um ator luxemburguês desta dimensão com uma presença na Coreia” é apontada como um dos pontos altos da visita. A infraestrutura representa um investimento de 20 milhões de euros e terá cerca de 90 trabalhadores.

Esta visita foi também marcada pela “comemoração dos 60 anos das relações diplomáticas ” entre Coreia do Sul e Grão-Ducado. E permitiu ainda “honrar os 85 veteranos luxemburgueses que foram voluntários nessa guerra terrível da Coreia”, sublinhou o Grão-Duque Herdeiro, Guillaume, no final da visita ao Memorial da Guerra da Coreia.

É importante fortalecer as relações económicas entre os dois países.

Grão-Duque Herdeiro, Guillaume

A delegação, onde estava também o ministro da Economia luxemburguês, Franz Fayoit, depositou uma coroa de flores no Memorial de Guerra para comemorar os soldados mortos e recordar os voluntários luxemburgueses que lutaram durante a Guerra da Coreia. O Luxemburgo esteve entre os 16 países que enviaram voluntários sob o comando das Nações Unidas para combater o exército norte-coreano.

Juntos na exploração espacial

Estabelecer uma colaboração efetiva na exploração do setor espacial é o principal objetivo do memorando de entendimento (MoU) assinado durante o primeiro dia da visita pelo ministro da Economia luxemburguês e pelo ministro da Ciência e Tecnologia da República da Coreia, em Seul.


Visita do Grão-Duque Herdeiro, Guillaume e do ministro da Economia Luxemburguês, Franz Fayot ao Palacio Real de Seul.
Como um cartão português me salvou na Coreia do Sul
Nenhum dos meus cartões luxemburgueses passou no aparelhinho de um taxista em plena Seul.

Os dois países elegeram este setor como uma das prioridades de investimento económico. Assim, o Luxemburgo conta investir nesta área cerca de 110 milhões de euros nos próximos quatro anos. O setor do Espaço tem atualmente cerca de 70 empresas e centros de investigação no Grão-Ducado.“A Coreia aumentou as suas competências no setor do espaço no desenvolvimento de satélites e veículos de lançamento”, afirmou o responsável pelo setor da ciência coreano, durante a cerimónia de assinatura do memorando, acrescentando que o “Luxemburgo desempenha um papel líder no desenvolvimento da indústria espacial na Europa”.

Através deste acordo os dois países querem criar “um quadro de trabalho com colaboração bilateral na exploração do espaço”, referiu Sang-Ryool Lee, presidente do Instituto de Investigação Aeroespacial da Coreia. “As áreas de cooperação serão ciência espacial, tecnologia aplicada, políticas espaciais e uso sustentado dos meios espaciais”, acrescentou. Para cada uma destas áreas será criado um grupo de trabalho entre os dois países para desenvolver esta cooperação através nomeadamente de conferências conjuntas.

“Apostando nas nossas forças penso que poderemos estabelecer uma cooperação na indústria, na definição de políticas espaciais, apoiadas em fortes relações internacionais, numa altura em que estamos a entrar na era da economia espacial”, sublinhou o ministro da República da Coreia durante a assinatura do acordo. “Como estamos em dois continentes diferentes, Ásia e Europa, podemos funcionar como um hub de cooperação internacional”, afirmou, por outro lado, o responsável pelo setor da ciência coreano.

O Grão-Duque Herdeiro, Guillaume, com Sungsoo Kim, veterano da Guerra da Coreia e Park Min-sik, ministro dos Patriotas e Veteranos da Coreia do Sul.
O Grão-Duque Herdeiro, Guillaume, com Sungsoo Kim, veterano da Guerra da Coreia e Park Min-sik, ministro dos Patriotas e Veteranos da Coreia do Sul.
Foto: SIP

“Este acordo representa um marco importante no reforço da cooperação dos setores do espaço dos dois países, possibilitando o desenvolvimento de projetos comuns concretos entro os dois ecossistemas espaciais, por parte das diferentes indústrias e centros de investigação”, afirmou, por seu lado, Franz Fayot, ministro da Economia do Luxemburgo.


Philippe Schmitz, diretor e CEO adjunto da Rotarex , Grão-Duque Herdeiro, Jean-Claude Schmitz, CEO da  Rotarex, Franz Fayot, ministro da Economia luxemburguês,  Michèle Schmitz-Gehrend, mulher de Jean-Claude Schmitz.
"A missão económica à Coreia foi um grande sucesso"
Dois memorandos de entendimento e a inauguração de uma fábrica luxemburguesa marcaram estes três dias de missão luxemburguesa à Coreia do Sul.

De visita ao Korea Space Forum 2022, que decorreu durante a tarde, o presidente coreano enunciou as prioridades da Coreia para o Espaço nomeadamente colocar um veículo espacial em Marte em 2045. Justamente foi neste evento que se verificou um incidente inesperado. À última da hora foi cancelada, sem explicações, a presença da delegação de jornalistas do Luxemburgo, incluindo o Contacto, convidada para assistir à visita.

No segundo dia de visita, o Luxemburgo e a Coreia do Sul assinaram um segundo memorando que prevê parcerias entre o Luxinnovation e o KAIST, considerado o MIT da Coreia do Sul. A décima economia do mundo viu recentemente nascer 23 unicórnios, empresas que ultrapassaram o financiamento de mil milhões de dólares.


Como o Luxemburgo ajudou na Guerra da Coreia
O Luxemburgo foi um dos 16 países do mundo a enviar soldados para ajudar na Guerra da Coreia. Um conflito que causou cerca de 2,5 milhões de mortos.

Durante a tarde realizou-se ainda o Fórum Empresarial Coreia-Luxemburgo que foi aberto pelo discurso inicial do Grão-Duque Herdeiro, Guillaume. Na sua intervenção destacou a vontade dos dois países de “intensificarem os laços económicos”. 

Identificando o setor do Espaço e das smart cities [cidades inteligentes] como as principais prioridades de desenvolvimento económico para o Grão -Ducado, afirmou que estes dois setores são áreas de oportunidade para “fortalecer as relações económicas entre os dois países”. Através do memorando assinado no primeiro dia da visita, o Luxemburgo pretende apoiar “start-ups e PMEs da Coreia que queiram entrar no mercado europeu”, sublinhou o Grão-Duque Herdeiro que desejou mais 60 anos de futuras boas relações entre os dois países.

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O Grão-Duque herdeiro e o ministro da Economia do Luxemburgo lideram uma delegação empresarial que se encontra desde este domingo em missão económica nos Estados Unidos. O setor espacial é o destaque desta missão.
O Grão-Duque herdeiro Guillaume faz-se acompanhar nesta viagem aos Estados Unidos pela Grã-Duquesa herdeira Stéphanie. Na foto, Chris Lewicki, presidente e diretor geral da empresa Planetary Resources dá as boas vindas à delegação luxemburguesa