Escolha as suas informações

"O leasing irá acelerar a ecologização da frota automóvel"
Luxemburgo 4 min. 14.07.2020

"O leasing irá acelerar a ecologização da frota automóvel"

Dominique Roger acredita que a pedagogia em vez de impostos fará mudar a frota de leasing para motores "mais limpos".

"O leasing irá acelerar a ecologização da frota automóvel"

Dominique Roger acredita que a pedagogia em vez de impostos fará mudar a frota de leasing para motores "mais limpos".
Photo : Guy Jallay
Luxemburgo 4 min. 14.07.2020

"O leasing irá acelerar a ecologização da frota automóvel"

Patrick JACQUEMOT
Patrick JACQUEMOT
Dominique Roger acaba de se juntar à Mobiz, que representa as empresas de aluguer de automóveis. Defende que medidas fiscais precipitadas poderão penalizar não só este sector de actividade mas também a atracção de muitas empresas que são adeptas da utilização de carros empresariais e motores "limpos".

De motorista para a Mobiz. Após nove anos de actividade, Gerry Wagner foi substituído por Dominique Roger. Cabe agora ao chefe da ALD Automotive representar os interesses das empresas de aluguer de automóveis a curto e longo prazo. E isto numa altura em que o Estado luxemburguês está a procurar o nicho do imposto sobre o arrendamento para estabelecer a sua política ambiental. Uma estrada sinuosa, diz o mapa da estrada. 

 Como é que as empresas de leasing passaram por este trimestre em particular? 

 Dominique Roger, presidente da Mobiz: "Desde o início do confinamento o setor adotou um modo de funcionamento saudável. Ao suspender colectivamente a entrega ou devolução de veículos sob contrato, muitas dificuldades foram evitadas. Do possível risco de infeção com a covid-19 até à gestão dos stocks. Isto permitiu a algumas pessoas evitar e acabar por ficar com stocks de veículos nas mãos; oportunidades que não poderiam ter encontrado compradores na primavera, quando o mercado automóvel luxemburguês esteva paralisado. Entre o teletrabalho e o trabalho a tempo reduzido, o sector conseguiu adaptar-se à queda de actividade, garantindo ao mesmo tempo a mobilidade dos seus clientes. 

 Quais são as perspectivas para a recuperação? 

 "Temos de tomar medidas para o pagamento a algumas empresas. Por vezes, também temos de rever os prazos de entrega dos automóveis que são esperados. Os fabricantes encerraram as suas fábricas, pelo que os atrasos na produção estão agora a ser sentidos. Mas nada catastrófico em comparação com outras indústrias. A título de exemplo, gostaria de lembrar que a renovação das frotas das empresas de leasing representa entre 40 a 50% do número anual de novos registos. 

 Os últimos meses foram também marcados por trocas tensas de argumentos com o governo. 

"Digamos apenas que tem havido muitas frases um pouco infelizes, como as do Ministro Claude Turmes, ou muita confusão sobre o que o governo pretende fazer com o leasing operacional. Hoje, a tensão está a diminuir, mas ainda teremos de trabalhar em conjunto nesta famosa reforma fiscal que terá não só impacto no nosso negócio principal, mas muito para além disso. Porque, ao defender os termos e condições actuais, Mobiz não está apenas a lutar pela causa das empresas de leasing e garagens. É também um apelo em nome das empresas que nos dizem o quanto o veículo empresarial continua a ser um factor de atratividade para atrair talento para o Grão-Ducado. Recrutamento que contribui para o dinamismo da economia global do país. Cuidado, portanto, com a auto-penalização. 

No Luxemburgo, o sistema fiscal para frotas de empresas já inclui incentivos à motorização eco-responsável. Recorde-se que isto tornou possível colocar no mercado muito mais modelos eléctricos, plug-in ou híbridos do que no mercado privado individual. No futuro, estou convencido de que o leasing irá acelerar a ecologização da frota automóvel. No que diz respeito à empresa pela qual sou responsável, estes veículos já são responsáveis por um quarto da procura. Não faremos melhor penalizando outro tipo de motorizações, mas dando aos diferentes atores tempo para que os seus interlocutores compreendam como este tipo de veículo pode ser utilizado. 

 Os ministros que falam desta ecologia da mobilidade devem compreender que estamos a trabalhar diariamente na pedagogia para expressar a sua vontade. Mas estamos presos entre fabricantes cuja gama de veículos eco-responsáveis não se está a desenvolver tão amplamente como as exigências do nosso mercado, entre o nível individual de consciência ambiental de cada um e a necessidade de ainda satisfazer as exigências dos nossos clientes-alvo. 

Então o argumento do "poluidor-pagador" não faz sentido para si? "Nada mesmo. Tem de compreender que o setor fornece hoje 40 a 45.000 veículos de empresa ou de empresa. A idade média destes veículos é de 20 meses. Assim, contribuímos para a circulação dos motores mais recentes, cumprindo as mais recentes normas anti-poluição. Vou deixá-lo comparar isto com a frota automóvel privada do país, que tem uma idade média de 5,5 anos. Se quisermos avançar para frotas "mais verdes", não devemos, portanto, saltar as etapas e acreditar que o aumento deste ou daquele imposto facilitará o movimento. E estou preparado para discutir isto com todos os ministros que queiram ter uma palavra a dizer sobre o assunto. 

Artigo da edição francesa do Wort, com o título original 'Le leasing accélérera le verdissement du parc auto'. Traduzido e editado para versão portuguesa por Ana Tomás

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.