Escolha as suas informações

Claude Turmes: "O inverno vai ser muito duro para os luxemburgueses"
Luxemburgo 28.06.2022
Energia

Claude Turmes: "O inverno vai ser muito duro para os luxemburgueses"

Energia

Claude Turmes: "O inverno vai ser muito duro para os luxemburgueses"

Photo: Shutterstock
Luxemburgo 28.06.2022
Energia

Claude Turmes: "O inverno vai ser muito duro para os luxemburgueses"

Redação
Redação
O ministro da Energia do Grão-Ducado lançou o alerta e aconselha os residentes a poupar.

Os problemas de abastecimento de gás nos países europeus, devido à guerra na Ucrânia e consequentes cortes russos de fornecimento, foram o tema central da reunião entre os 27 ministros da União europeia que ontem decorreu em Kirchberg.

"Penso que a situação atual é muito grave", declarou ontem em conferência de imprensa Claude Turmes, o ministro da Energia do Luxemburgo, citado pela edição francesa do Wort.

O problema tenderá a agravar-se na próxima estação mais fria. “Será um inverno muito duro para todos os luxemburgueses, para todos os europeus. É por isso que é importante trabalharmos juntos no país, mas também fora das fronteiras”, realçou o governante. Apesar do Luxemburgo depender pouco do fornecimento do gás russo, existindo um mercado belgo-luxemburguês, tem também de olhar para a situação dos outros países europeus.

"O Luxemburgo tem reservas de gás na Alemanha que estão relativamente bem abastecidas", descansou. Estas reservas abastecem o Luxemburgo e a Bélgica.

Ministro da Energia Claude Turmes.
Ministro da Energia Claude Turmes.
Foto: Marc Wilwert

Famílias devem poupar 10% 

A crise energética conduziu a um aumento dos preços e devido à escassez Claude Turmes aconselha todos os europeus, mesmo os luxemburgueses a poupar no consumo quando o frio chegar.

"Todos podem economizar cerca de 10%, tal deve ser possível em todo o lado", apelou Claude Turmes pedido aos luxemburgueses para reduzir um pouco o aquecimento das suas casas desde o início do próximo inverno. O governante assumiu que está preocupado com o aumento dos custos de energia sobretudo a dificuldade que tal cria ao nível das famílias mais desfavorecidas.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas