Escolha as suas informações

Número de novas infeções e mortes continuou a descer na última semana
Luxemburgo 2 min. 23.12.2020

Número de novas infeções e mortes continuou a descer na última semana

Número de novas infeções e mortes continuou a descer na última semana

Foto: AFP
Luxemburgo 2 min. 23.12.2020

Número de novas infeções e mortes continuou a descer na última semana

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
Por outro lado, as hospitalizações mantiveram uma tendência de subida, no Luxemburgo, ainda que com pequena descida nos internamentos em cuidados intensivos.

O número de novos infetados e de óbitos continuou a descer na última semana. Segundo o balanço semanal do Ministério da Saúde, entre 14 e 20 de dezembro, o número de pessoas que testou positivo para a covid-19 desceu mais de 20% (menos 22%) por comparação com o registado na semana anterior, passando de 3.422 para 2.681, numa semana em que também foram realizados mais testes PCR (78.271 em comparação com os 70.300 da semana anterior)

A média de idades dos casos positivos mantém-se sem grandes alterações, tendo descido ligeiramente dos 39 anos para os 38, entre 14 e 20 de dezembro.

Neste período, houve igualmente um decréscimo no número de óbitos por covid-19. Na semana anterior, o país contabilizou 44 mortes, enquanto na de 14 a 20 de dezembro registou 38. A idade média das vítimas mortais situou-se nos 83 anos.

Já no que se refere às hospitalizações, o boletim semanal do Governo revela uma subida, na última semana. Neste período foram confirmadas 181 hospitalizações em cuidados normais e 43 em cuidados intensivos, comparando com 173 e 47,  respetivamente, na semana anterior.

Taxa de incidência a descer

Entre 14 e 20 de dezembro, a taxa de incidência foi de 428 casos por 100.000 habitantes, durante 7 dias, enquanto na semana anterior, por igual período de análise, correspondeu a 546 casos por 100.000 habitantes.

O índice de reprodução manteve-se em 0,87 e a taxa de positividade nos testes realizados foi de 3,43% em comparação com 4,87% na semana anterior.

Contexto familiar continua a ser foco de contágio

Apesar da descida do número de infetados e de óbitos, a pressão nos hospitais mantém-se elevada e deverá registar uma subida média, na semana do Natal.  

Com a consoada à porta, o balanço da semana de 14 a 20 de dezembro sinaliza ainda que a taxa de contaminações para as quais a fonte não é claramente atribuível permanece elevada, na ordem dos 31,9%.  Mas, segundo a análise efetuada durante dois dias completos (14 e 15/12) e envolvendo 952 casos, o círculo familiar continua a ser o contexto mais frequente de transmissão de infeções de covid-19, representando 40,2% do total. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas