Escolha as suas informações

Número de mortes por covid-19 no Luxemburgo duplicou na primeira semana de março
Luxemburgo 2 min. 10.03.2021

Número de mortes por covid-19 no Luxemburgo duplicou na primeira semana de março

Número de mortes por covid-19 no Luxemburgo duplicou na primeira semana de março

Foto: AFP
Luxemburgo 2 min. 10.03.2021

Número de mortes por covid-19 no Luxemburgo duplicou na primeira semana de março

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
Entre 1 e 7 de março morreram 24 pessoas, por comparação com as 12 da última semana de fevereiro. Internamentos também registaram "um aumento acentuado".

O número de mortes por covid-19 duplicou na primeira semana de março, face à anterior. Segundo o boletim semanal do Ministério da Saúde, entre 1 e 7 de março, houve 24 novas mortes relacionadas com a doença provocado pelo SARS-Cov-2, o dobro das 12 registadas na última semana de fevereiro. A idade média dos falecidos situou-se nos 84 anos.

Também nos hospitais se verificou "um aumento acentuado" nas admissões de pacientes covid-19, com 86 pessoas internadas nos cuidados normais e 21 nos cuidados intensivos, entre 1-7 de março, face às 68 e 18, respetivamente, na semana anterior.

No que respeita ao número de infetados, na primeira semana deste mês, verificou-se uma descida do número de pessoas com testes positivos, de 1.315 para 1.194 (-9,1%), assim como o número de contactos próximos identificados de 3.101 para 2.847 (-9,2%). 

Paralelamente, diminuiu o número de testes PCR, passando de de 64.376 para 61.564. 


Luxemburgo. Mais cinco mortes por covid-19 e 234 novos casos
As hospitalizações também aumentaram, havendo, atualmente, 122 pessoas internadas, mais cinco que ontem.

Segundo o boletim de balanço semanal, a 7 de março, o número de infeções ativas era de 2.783 (o que reflete uma descida quando comparado com as 2.908 de 28 de fevereiro).

Por outro lado, aumentou o número de pessoas curadas, que passou de 51.934 para 53.229, na primeira semana de março. 

Taxas de positividade e de incidência descem

No período em análise, a taxa de reprodução efetiva (RT) aumentou ligeiramente de 0,96 para 1,00, enquanto a taxa de positividade para todos os testes realizados (prescrições, testes em grande escala, rastreio de contactos) foi inferior à da semana anterior: 1,94% em comparação com 2,04%. Nos testes realizados com receita médica, ou seja, para pessoas que apresentam sintomas, também se registou uma diminuição: 5,03% em comparação com os 5,42% da semana anterior. 

Na primeira semana de março, houve igualmente uma descida da taxa de incidência, que foi de 191 casos por 100.000 habitantes, para um período de sete dias, face aos 210 casos por 100.000 habitantes da semana anterior, para igual período de análise. 

Casos crescem nos mais velhos

Relativamente aos grupos etários, o boletim mostra que, de 1 a 7 de março, foi no grupo etário com 75 anos ou mais que se registou o maior aumento de infeções (+46%). 

De acordo com o boletim, este aumento é justificado por um grande surto num centro de cuidados residenciais para os idosos. 

No mesmo período, a taxa de incidência permaneceu estável no grupo etário dos 60-74 anos e diminui nos restantes (caindo entre 10% e 20%). 

O grupo etário dos 75 anos é o que tem agora a maior taxa de incidência enquanto a faixa dos 60-74 anos continua a ter a menor. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas