Escolha as suas informações

Número de médicos duplicou em quase 20 anos

Número de médicos duplicou em quase 20 anos

Luxemburgo 14.03.2019

Número de médicos duplicou em quase 20 anos

O Luxemburgo tinha 1.780 médicos, no final de 2017. Desses profissionais de saúde 534 eram médicos de clínica geral, representando 30% dos médicos no ativo.

O número de médicos no Luxemburgo quase duplicou desde o ano 2000, assegura o ministro da Saúde, Étienne Schneider, na resposta a uma pergunta parlamentar do deputado Gusty Graas (CSV).

Embora haja cada vez mais médicos no país, a verdade é que a população também não para de crescer e que 73% dos médicos têm mais de 45 anos de idade. E, apesar de não haver idade legal para os médicos partirem para a reforma, uma vez que exercem uma atividade liberal, o ministro Schneider admitiu, em janeiro último, que o país está confrontado com uma penúria de médicos qualificados.

O Luxemburgo recebe em média 89 pedidos, por ano, de médicos que pedem autorização para exercer.

Para incentivar mais médicos a instalar-se no país Étienne Schneider tenciona criar um subsídio de 10.000 euros a atribuir aos profissionais que abram um consultório partilhado.

Susy Martins


Notícias relacionadas

Atividade gripal "elevada" no Luxemburgo
Segundo o serviço de vigilância da gripe do Laboratório Nacional de Saúde, a taxa de consultas por causa da gripe rondou os 7,4% na semana de 4 a 10 de fevereiro. A vacina contra o vírus continua em rutura de stock no Luxemburgo.
Falta encontrar local : Google "será o maior investimento do Luxemburgo", diz Etinenne Schneider
Caso a gigante Google se instale no país, este “será o maior investimento no Luxemburgo, disse Etienne Schneider, ministro da Economia, ontem à noite, sexta-feira, ao Luxembourg Wort, em resposta à crescente especulação sobre a vinda da empresa para o Grão-Ducado. Além do maior investimento, "será o maior consumidor de eletricidade no Luxemburgo, à frente do ArcelorMittal", explicou Schneider.
O Luxemburgo já perdeu duas corridas para a instalação da Google, mas quer garantir que à terceira ganha