Escolha as suas informações

Novo Governo. Mais mulheres e duas estreias absolutas
Luxemburgo 2 min. 16.10.2019 Do nosso arquivo online

Novo Governo. Mais mulheres e duas estreias absolutas

Novo Governo. Mais mulheres e duas estreias absolutas

Foto: AFP
Luxemburgo 2 min. 16.10.2019 Do nosso arquivo online

Novo Governo. Mais mulheres e duas estreias absolutas

Nunca um governo português teve tantas mulheres. Há cinco novos ministros no segundo executivo de António Costa. Dois são estreantes, três passam de secretários de estado a ministros.

A tomada de posse ainda não tem data marcada, mas a nova composição do governo liderado por António Costa já recebeu luz verde de Belém que, numa nota, fez saber que o "Presidente da República deu o seu assentimento à proposta que será oportunamente complementada com os restantes Secretários de Estado". 

António Costa bateu o recorde de mulheres a assumir funções governativas. Dos dezanove ministros, oito são mulheres e onze são homens. 

O XXII governo constitucional tem cinco novos ministros. Apenas dois são estreias absolutas. Ana Abrunhosa assume a pasta da Coesão Territorial e Ricardo Serrão substitui Ana Paula Vitorino no ministério do Mar. Dos novos cinco, três passam de secretários de Estado a ministros: Ana Mendes Godinho ocupa o ministério do Trabalho e Segurança Social, liderado até agora por Vieira da Silva, Maria do Céu Albuquerque substitui Capoulas Santos na Agricultura e Alexandra Leitão troca a Educação pela Administra Administração Pública e Modernização Administrativa.

Para o primeiro-ministro indigitado "trata-se de um governo coeso" e de "continuidade". Do ponto de vista institucional, António Costa cria a figura de ministro de Estado. No anterior governo não havia nenhum, agora há quatro: Pedro Siza Vieira (Economia), Augusto Santos Silva (Negócios Estrangeiros), Mariana Vieira da Silva (Presidência) e Mário Centeno (Finanças). 

Outros 10 continuam em funções. Mariana Vieira da Silva mantém a pasta da Presidência, na Justiça e na Administração Interna continuam Francisca van Dunem e Eduardo Cabrita, respectivamente. Manuel Heitor mantém-se no  ministério da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior e Tiago Brandão Rodrigues no da Educação.  

Nélson de Souza fica como ministro do Planeamento. Pedro Nuno Santos permanece como ministro das Infra-estruturas e da Habitação e João Pedro Matos Fernandes mantém-se como ministro do Ambiente e agora também da Acção Climática.  

Empossados há um ano na última remodelação do anterior governo socialista, Gomes Cravinho lidera a Defesa, Marta Temido a Saúde e Graça Fonsenca a Cultura. 

Os nomes dos secretários de Estado são divulgados nos próximos dias. Para já, parece certo que Duarte Cordeiro se mantém como secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares. Tiago Antunes é apontado como o novo secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro e André Caldas como   novo secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros. 



Notícias relacionadas