Escolha as suas informações

Nova petição defende semana de trabalho de 35 horas
Luxemburgo 17.06.2022
Trabalho

Nova petição defende semana de trabalho de 35 horas

Trabalho

Nova petição defende semana de trabalho de 35 horas

Foto: Gerry Huberty
Luxemburgo 17.06.2022
Trabalho

Nova petição defende semana de trabalho de 35 horas

Diana ALVES
Diana ALVES
A redução do tempo de trabalho está ao centro de uma nova petição pública, disponível desde esta sexta-feira no site www.petitiounen.lu.

O autor do documento é Gauthier Vandewoestyne, que reivindica dias de trabalho de sete horas, em vez das atuais oito. Conta feita, os trabalhadores passariam a trabalhar menos cinco horas por semana, o que, no seu entender permitiria aumentar a sua produtividade horária e também o sentimento de bem-estar geral.


Federação Manufatureira contra redução do tempo de trabalho
Organismo pede ao Executivo que aposte na flexibilização do trabalho, em vez de encurtar o horário laboral.

O autor da iniciativa argumenta ainda que o Luxemburgo é dos países da União Europeia com a semana de trabalho mais longa.

A redução do tempo de trabalho tem feito correr muita tinta nos últimos tempos. Ainda esta semana, o ministro do Trabalho, Georges Engel, voltou a confirmar, numa resposta parlamentar, que o Governo tenciona realizar um estudo abrangente sobre o tema.


Patrões defendem semana de mais de 40 horas para quem quiser
Numa altura em se fala sobre a redução do tempo de trabalho em vários países, os patrões no Luxemburgo defendem o contrário.

Organizações patronais discordam

Para Engel, o estudo tem de incluir os eventuais efeitos que a redução do período de trabalho teria por exemplo ao nível da saúde, igualdade entre homens e mulheres, ambiente, bem-estar no trabalho e qualidade de vida. Na resposta à deputada Myriam Ceccheti, do déi Lénk, o ministro sublinhou ainda que um estudo desta dimensão deverá “facilitar a discussão sobre o assunto”.

A possibilidade de o horário laboral vir a diminuir não tem sido bem recebida pelas organizações patronais. Também esta semana a Federação Manufatureira veio apelar ao Governo para que aposte antes na flexibilização do tempo de trabalho. Essa flexibilização é também defendida pela União das Empresas Luxemburguesas (UEL). Numa entrevista à Rádio Latina, a organização patronal defendeu mesmo uma semana de mais de 40 horas para os trabalhadores que assim o quiserem.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas