Escolha as suas informações

No Facebook: CONTACTO e Wort abrem página de debate sobre o direito de voto dos estrangeiros

No Facebook: CONTACTO e Wort abrem página de debate sobre o direito de voto dos estrangeiros

Luxemburgo 2 min. 08.05.2015

No Facebook: CONTACTO e Wort abrem página de debate sobre o direito de voto dos estrangeiros

Os jornais Luxemburger Wort e CONTACTO lançaram uma página Facebook para incentivar os estrangeiros a partilhar a sua opinião com os luxemburgueses sobre o direito de voto dos estrangeiros, que é uma das questões que vai ser referendada na consulta popular de 7 de Junho próximo.

Os jornais Luxemburger Wort e CONTACTO lançaram uma página Facebook para incentivar os estrangeiros a partilhar a sua opinião com os luxemburgueses sobre o direito de voto dos estrangeiros, que é uma das questões que vai ser referendada na consulta popular de 7 de Junho próximo.

No referendo, os eleitores luxemburgueses vão decidir se deve ser atribuído ou não o direito de voto aos residentes estrangeiros nas eleições legislativas.

Na página Facebook "Dear Luxembourgers..." ("Caros Luxemburgueses....") foi aberta pelo Wort e pelo CONTACTO para ser um espaço onde os internautas podem expôr os seus diferentes pontos de vista, de modo a que os residentes estrangeiros no Grão-Ducado possam exprimir a sua opinião sobre esta questão de forma aberta, cortesa e respeituosa, como se escrevessem uma carta aos luxemburgueses.

"Apesar de os residentes estrangeiros não poderem votar no dia 7 de Junho, são directamente visados pelo referendo sobre o direito de voto. No Luxemburger Wort  temos a convicção que há mais do que um ponto de vista na matéria, incluindo junto dos residentes estrangeiros, e que pode haver um debate interessante e vivo sobre o assunto", considera o chefe de Redacção do Luxemburger Wort, Jean-Lou Siweck.

"Ao oferecermos um conteúdo em quatro línguas (no portal wort.lu, em alemão, francês e inglês e em português na página Contacto.lu) esta plataforma de debates dirige-se a todos os nossos leitores", acrescenta Jean-Lou Siweck.

A questão do direito de voto dos estrangeiros nas legislativas acontece num momento em que a população não-luxemburguesa do país atingiu os 46%.

O Governo de coligação liberal-socialista-verde (DP/LSAP/Déi Gréng) já tomou posição a favor do direito de voto para os estrangeiros nas eleições que elegem o Governo e o Parlamento. Um direito que diz respeito aos residentes não-luxemburgueses que moram no Grão-Ducado há mais de 10 anos e na condição de terem votado nas últimas eleições comunais ou europeias, o que supõe que estão inscritos nos cadernos eleitorais municipais. O direito de voto nas eleições autárquicas para os residentes estrangeiros entrou em vigor em 1999.

Esta proposta do Governo é rejeitada pelos partidos CSV e ADR, mas defendida por todos os outros partidos do espectro parlamentar. Os cristãos-sociais dizem que preferem facilitar o acesso à nacionalidade luxemburguesa, o que conduziria ao direito de voto.

Todas as opiniões são bem-vindas na página Facebook "Dear Luxembourgers..." (Caros Luxemburgueses), à condição que não contenham propósitos injuriosos ou discriminatórios, o que prejudica que o debate avance.

A página vai estar aberta até ao referendo de 7 de Junho.



Notícias relacionadas

Direito de voto dos estrangeiros : "CSV e ADR jogam com o medo" - ASTI
A Associação de Apoio aos Trabalhadores Imigrantes (ASTI, no acrónimo em francês) apresentou, no domingo, à comunidade cabo-verdiana os benefícios do direito de voto dos estrangeiros nas legislativas luxemburguesas. Quanto ao resultado das sondagens, que dão a vantagem ao "não", a ASTI diz que os partidos da oposição estão a jogar com o medo.
Sérgio Ferreira e Laura Zucolli, da ASTI, estiveram à conversa com Clara Delgado, da Embaixada de Cabo Verde, dirigentes associativos e e alguns membros da comunidade cabo-verdiana