Escolha as suas informações

Naturalizações: Portugueses são os que mais pedem a nacionalidade luxemburguesa
Luxemburgo 2 min. 12.10.2014

Naturalizações: Portugueses são os que mais pedem a nacionalidade luxemburguesa

Naturalizações: Portugueses são os que mais pedem a nacionalidade luxemburguesa

Foto: Guy Jallay
Luxemburgo 2 min. 12.10.2014

Naturalizações: Portugueses são os que mais pedem a nacionalidade luxemburguesa

Os belgas são "campeões" da recuperação de nacionalidade luxemburguesa. Mas nos pedidos de naturalização, são os portugueses que continuam a ser os mais numerosos.

Em 2013 o Luxemburgo contou com 4.411 aquisições da nacionalidade luxemburguesa. Um número em regressão de 5,7% em relação ao ano anterior (4.680). Mais de um terço destas aquisições de nacionalidade foi feita por cidadãos belgas.

O número total de naturalizações no ano de 2013 divide-se em 1.969 recuperações da nacionalidade luxemburguesa e 2.437 naturalizações (+ 5 naturalizações / opções no âmbito do procedimento anterior).

Se os belgas são "campeões" da recuperação da nacionalidade, os portugueses continuam a ser os mais numerosos a pedir naturalizações, com 981 pedidos registados em 2013, bem à frente dos cidadãos italianos (301) e franceses.

A título de comparação, já em 2011, a maioria das naturalizações no Luxemburgo tinham sido concedidas aos portugueses (31,9%), logo seguidos dos belgas (13,2 %), italianos (12%) e franceses (9,2 %).

Qual a diferença entre recuperações de nacionalidade e naturalizações?

As recuperações de nacionalidade permitem às pessoas que tenham um antepassado luxemburguês nascido depois do dia 1 de Janeiro de 1900 e que sejam dele descendentes em linha directa paterna ou materna de obterem a nacionalidade luxemburguesa. A regra está em vigor até 2018 e as recuperações tem estado em crescimento de 16,6% em relação a 2012 (1.689 até à data). Na sua maioria, esta recuperações são feitas por cidadãos belgas (1.428, num total de 1.577 naturalizações) e franceses (409, num total de 639), que não residem necessariamente no Grão-Ducado.

A evolução das naturalizações segue numa lógica inversa, uma regressão de 16% em relação a 2012 (2.919 na altura + 72 naturalizações / opções no âmbito do procedimento anterior).

Mesmo incluindo os cidadãos de países terceiros, ou seja, países não membros da União Europeia, as aquisições de nacionalidade luxemburguesa têm estado a regredir.

Cidadãos naturalizados de países terceiros são na sua maioria originários do Montenegro (98), da Bósnia-Herzegovina (60), Sérvia (49), Cabo Verde (43), Kosovo (22) e Rússia (22).

Estes dados fazem parte do relatório político de 2013 sobre as migrações e asilo, publicado a 7 de Outubro, bem como base nos dados do Statec, o Serviço de Estatística do Luxemburgo.

 

 

 

 


Notícias relacionadas

Pode-se ter a nacionalidade sem viver nem conhecer o Luxemburgo?
A questão foi posta no Parlamento: é possível obter a nacionalidade luxemburguesa sem nunca ter vivido no Luxemburgo nem falar luxemburguês? É, responde o ministro da Justiça, Félix Braz. Em causa está uma cidadã marroquina que obteve a nacionalidade através da mãe, depois de esta ter casado com um luxemburguês. Mas não é caso único.
27.03.2014 luxembourg, kirchberg, flag, flags, Flagge, Flaggen, drapeaux, europäische Fahnen, Fahne, Fahnen, Europa, Wahlen photo Anouk ANTONY/WORT